Campeonato do Mundo F2 - Ródão: "É o reconhecimento do potencial desta zona do Tejo" - Luís Pereira

O presidente da Câmara de Vila Velha de Ródão, Luís Pereira, espera que a realização da segunda e terceira etapa do Mundial de GP2 seja uma semana "memorável" para o concelho.

  • Desporto
  • Publicado: 2020-09-30
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

"As duas provas são um momento único para o nosso território e para a motonáutica. Espero que o país tenha aqui uma prova única e que demonstre a nossa capacidade de organização. As duas provas são um momento único para o nosso território e para a motonáutica. Espero que o país tenha aqui uma prova única e que demonstre a nossa capacidade de organização", o autarca falava durante a conferência de imprensa de apresentação da dupla jornada do Campeonato do Mundo de Motonáutica em Fórmula 2, que decorreu no Parque Ambiental do Tejo- Enxarrique, junto à estação Arqueológica da Foz do Enxarrique, 

"É com entusiasmo que recebemos aqui uma prova do Campeonato do Mundo, não só pela projeção mundial que implica para o concelho em termos de promoção do território, mas também porque se trata do reconhecimento do potencial desta zona do Tejo para a realização de desportos náuticos”, afirmou o autarca. 

Luís Pereira espera que a realização da segunda e terceira etapa do Mundial de GP2 seja uma semana "memorável" para o concelho.

"As duas provas são um momento único para o nosso território e para a motonáutica. Espero que o país tenha aqui uma prova única e que demonstre a nossa capacidade de organização", concluiu. 

O presidente da Federação Portuguesa de Motonáutica (FPM), Paulo Ferreira, não poupou elogios às condições naturais que o Tejo de Vila Velha de Ródão oferece para a prática da motonáutica.

"Vila Velha de Ródão é um local que sabe acolher as pessoas. É um privilégio e uma alegria muito grande ouvir os pilotos dizer que este local é fabuloso. Vamos aqui ter duas etapas do campeonato do mundo. É um sacrifício para a FPM e para o município, mas demonstra que temos capacidade para organizar um campeonato do mundo com duas etapas", disse.

Paulo Ferreira sublinhou que espera que o título mundial seja entregue ao melhor e que seja uma "boa corrida".

"Estão aqui os melhores do mundo. Foi prometida, no ano passado, uma etapa do campeonato do mundo. Trouxemos duas. Foi um sacrifício conseguir trazer as duas etapas para cá, mas Vila Velha de Ródão merece", referiu.

Este responsável prometeu continuar a investir no interior enquanto for o líder da FPM, apesar das maiores dificuldades que encontra, uma vez que tem de trabalhar com municípios mais pequenos e com menor capacidade financeira ou mesmo de logística.

"Esta prova não tem um único incentivo do Turismo de Portugal", concluiu.

Já o piloto português, Duarte Benavente, afirmou na conferência que está na "melhor posição" para conquistar o Campeonato do Mundo de Motonáutica em Fórmula 2 e recusou estar sob qualquer pressão, prometendo lutar pelo melhor lugar possível.

"Estou na melhor posição para conquistar o campeonato do mundo e sem qualquer pressão. Estou a ser sincero. Não tenho pressão, porque estou habituado a correr ao mais alto nível. A pressão é não ser líder", afirmou Duarte Benavente.

"Estou aqui para trabalhar. Quem trabalhar melhor e tiver mais pontos vai ganhar no domingo. Nunca podemos adivinhar o que aí vem, estamos a falar de um desporto motorizado", frisou.

O piloto português realçou a honra que é em poder competir no seu país e explicou que esteve a correr em Vila Velha de Ródão, pela primeira vez, no ano passado.

"Espero que todos se divirtam com o espetáculo que vamos dar", concluiu.

 

PUB

PUB

PUB

PUB