Covid-19: Alunas do Politécnico de Castelo Branco entregam alimentos e medicação

Com a declaração do estado de emergência devido ao Covid-19, as limitações de mobilidade vieram aumentar os constrangimentos da população idosa, principal grupo de risco ante o surto pandémico que obrigou a um isolamento social generalizado.

  • Educação
  • Publicado: 2020-03-24
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Paralelamente aos programas de apoio comunitário a cargo de entidades públicas ou instituições particulares de solidariedade social, a sociedade também se está a mobilizar de norte a sul do país. Nessa linha, duas alunas do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) decidiram avançar com uma ação solidária, propondo-se suprir qualquer necessidade mais premente ao nível da alimentação ou medicamentos que afete não só os idosos, mas também albicastrenses de outras faixas etárias.

A iniciativa por conta própria arrancou nas redes sociais, depois de Mariana Duarte e Ana Ramos se terem dado conta que, já que continuam de serviço na Amato Lusitano - Associação de Desenvolvimento, poderiam aproveitar as suas deslocações pendulares entre casa e trabalho para ajudar a população mais indefesa e penalizada pelo dever de confinamento, e que, para sua segurança, não deve sair à rua.

De início, a estratégia das mestrandas do curso de Gerontologia Social na Escola Superior de Educação do IPCB, unidade orgânica onde estas concluíram a licenciatura em Serviço Social, consistia em colocar informação nos elevadores dos edifícios em que as jovens naturais de Alpalhão e Guarda residem. Disponibilizar aos albicastrenses um número de telemóvel – 96 359 47 27 –, através do qual o interessado fornece a sua morada e são combinados dia e hora de entrega, acabou por ser a melhor solução. Posteriormente, basta que as pessoas deixem um saco à porta de casa com a lista de compras, o dinheiro suficiente e, caso seja necessária, a receita médica. Cumprida a tarefa, a bolsa é devolvida, já com o pedido, o recibo e o troco.

Para não comprometer a capacidade de resposta, Mariana e Ana irão abranger apenas algumas zonas da cidade como a Sé, Três Globos, Quinta Dr. Beirão, Hospital, Monte do Índio, Santiago, Granja ou Cansado, havendo a hipótese de se deslocarem a outros bairros do núcleo urbano se necessário. Qualquer cidadão pode também prestar informação sobre quem precise de apoio ou estar atento às necessidades da respetiva comunidade de vizinhos, fazendo-o sempre em condições de segurança e respeitando as indicações das autoridades de forma a evitar a exposição ao novo coronavírus.

PUB

PUB

PUB

PUB