Fundão: Continua a poluição na praia fluvial da Barroca do Zêzere

O Núcleo Concelhio do Fundão do Bloco de Esquerda (BE), após ter sido alertado por um munícipe, deslocou-se à praia fluvial da Barroca do Zêzere no passado dia 23 de novembro de 2021 para comprovar que a poluição no rio Zêzere não foi resolvida.

  • Região
  • Publicado: 2021-11-27 22:13
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Em comunicado de imprensa enviado ao Diário Digital Castelo Branco, o BE refere que ao chegar ao local, os bloquista viram que a espuma continua a ser bem visível e o cheiro também se consegue sentir. 

O BE lembra que os episódios de poluição neste local não são novos, tendo acontecido um caso grave no verão de 2019 que até levou à interdição da praia fluvial. Na altura, foi anunciado que a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) iria proceder a análises da água para tentar obter a origem da poluição, mas os resultados, pelo menos, não são publicamente conhecidos. 

O Núcleo do BE fundanense irá remeter esta situação à APA, enquanto solicita os resultados das análises anunciadas no verão de 2019. 

O rio Zêzere é um importante recurso natural, inclusive é responsável pelo abastecimento de água, através da barragem de Castelo de Bode, feito pela Empresa Portuguesa de Águas Livres (EPAL), na Grande Lisboa.

Uma tese de doutoramento da Universidade de Coimbra, em 2015, identificou um pH ácido e níveis de metais pesados acima do valor máximo recomendado num afluente do rio Zêzere, nomeadamente na Ribeira do Bodelhão, junto às minas da Panasqueira, nos concelhos da Covilhã e do Fundão.

O BE diz continuar empenhado em preservar e conservar os recursos naturais da região, contra abusos que possam acontecer e que deteriorem a qualidade de vida dos e das munícipes.

PUB

PUB

PUB

PUB