Hospital de Castelo Branco é cenário de mini-série da RTP denominada “Restos”

O Hospital Amato Lusitano (HAL) de Castelo Branco foi palco de algumas cenas do filme “Restos” que está a ser produzido para a RTP e para as salas de cinema.

  • Cultura
  • Publicado: 2021-11-25 17:00
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Numa das cenas da mini-série acontece uma morte de um jovem, cuja autópsia teve lugar na morgue do HAL. Um acontecimento violento transformou a vida de um rapaz para sempre. Num ritual de passagem, inserido numa tradição pagã de uma pequena vila no interior de Portugal, um jovem adolescente é espancado, de forma brutal por outros três rapazes, deixando-o com sequelas irreversíveis.

Laureano nunca mais recuperou e ficou para sempre com a mentalidade de uma criança. Passam vinte e cinco anos e percebemos que aquele rapaz é hoje um homem de quase quarenta anos e que se tornou num excluído que muitos passaram a tratar como “o maluco da aldeia”.

Vive sozinho numa casa decrépita ao largo da vila que herdou dos pais, e anda sempre rodeado de cães vadios que andam pelos campos, abandonados por caçadores. É noite de São João e a vila está em festa, pela primeira vez em muitos anos, os três rapazes, agora homens, que espancaram Laureano no passado reúnem-se para festejar. Mas em plena festa, surge a notícia de que o filho de um deles foi encontrado morto à saída da vila, vítima de uma matilha de cães abandonados.

 Este acontecimento brutal vem perturbar a teia de relações desta comunidade. A violência do presente ajuda a despertar a memória de violências do passado. São revelados segredos que estavam enterrados pelo tempo e todas estas personagens são lançadas para o centro de uma espiral de conflitos que, finalmente, terá que ser apaziguada com mais um castigo e mais uma vítima.

O filme produzido pela “Leopardo Filmes” tem como realizador Tiago Rodrigues e como produtora executiva Ana Moura.

PUB

PUB

PUB

PUB