Autárquicas2021/Castelo Branco: Luís Correia quer vencer como independente

Como é do conhecimento público, o ex-presidente da Câmara Municipal albicastrense lidera a lista do "Sempre - Movimento Independente" com o objetivo de reconquistar a presidência do Município, que decisões judiciais lhe retiraram e dar continuidade ao trabalho que iniciou em 2013.

  • Região
  • Publicado: 2021-06-18 00:00
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco com Lusa

"O Sempre - Movimento Independente tem como objetivo vencer as próximas eleições autárquicas por forma a liderar a implementação de uma estratégia de desenvolvimento para Castelo Branco", declarou, Luís Correia, à Agência Lusa. 

O ex-autarca, de 57 anos, foi candidato pelo Partido Socialista (PS) em 2013 e 2017, tendo vencido as duas eleições e conquistado, em ambos os casos, cinco mandatos, contra dois vereadores do PSD.

Em 21 de julho de 2020, após decisões do Tribunal Administrativo e Fiscal de Castelo Branco e do Supremo Tribunal Administrativo, e de recursos do autarca, o Tribunal Constitucional confirmou a perda de mandato, por ter assinado, na qualidade de presidente da Câmara, dois contratos com uma empresa detida pelo seu pai.

Depois, já em 04 de fevereiro de 2021, no julgamento do processo criminal (o anterior era administrativo), o Tribunal de Castelo Branco absolveu Luís Correia, que estava acusado de prevaricação em coautoria com dois empresários, um deles o seu pai.

Como o Diário Digital Castelo Branco já anunciou, o Ministério Público (MP) recorreu para a Relação de Coimbra desta decisão do Tribunal da Comarca de Castelo Branco cuja a decisão judicial poderá retirar-lhe o mandato como aconteceu em 2020 https://www.diariodigitalcastelobranco.pt/noticia/56299/castelo-branco-ministerio-publico-recorre-da-absolvicao-do-ex-presidente-da-camara-pelo-tribunal-da-comarca-local

Em 30 de março, a Comissão Política Concelhia do PS anunciou o nome do professor e atual presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco, Leopoldo Rodrigues, como candidato socialista à Câmara Municipal.

Já em abril, o ex-presidente da Câmara de Castelo Branco decidiu recandidatar-se às autárquicas, não nas listas do PS, mas como independente.

Segundo a legislação em vigor, caso vença as eleições autárquicas, Luís Correia apenas pode cumprir mais este mandato de quatro anos (apenas é permitida a eleição para três mandatos consecutivos no mesmo concelho).

"É uma candidatura independente que conta com todos, apresenta-se com um grande sentido de responsabilidade e com uma visão integradora para Castelo Branco, dando assim seguimento ao trabalho concretizado ao longo dos últimos anos, com resultados à vista de todos, freguesia a freguesia", sustenta.

Luís Correia é licenciado em Organização e Gestão de Empresas pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho, em Lisboa.

Diz que a sua candidatura envolve "um projeto de grande alcance, que permitiu investimentos disruptivos, capazes de estimular a economia e de criar novas dinâmicas ao nível do empreendedorismo e da inovação, nas áreas social, associativa, educativa, cultural, entre outras".

Além disso, realça o incremento de espaços verdes, "melhorando muito a qualidade de vida dos albicastrenses".

O ex-autarca sustenta que o reconhecimento do trabalho que fez nos seus mandatos "é nacional e internacional", e está espelhado "através dos diversos prémios com que o município tem sido distinguido".

O candidato iniciou a sua atividade profissional na Associação Comercial e Empresarial da Beira Baixa. Simultaneamente, trabalhou numa empresa de contabilidade e apoio à gestão de empresas, e lecionou as cadeiras de Contabilidade e Análise Financeira no já encerrado Instituto Superior de Matemáticas e Gestão (ISMAG) de Castelo Branco, propriedade da Universidade Lusófona. 

A convite do então Presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Joaquim Morão,  foi diretor da Escola Profissional da Raia (EPRIN) de onde veio, em 1997, para ser eleito vereador da Câmara de Castelo Branco, inicialmente em regime de não permanência. Dois meses depois, assumiu o cargo de diretor do Centro de Emprego e Formação Profissional local, que manteve até agosto de 2001, data em que passou a vereador em regime de permanência.

Após as eleições autárquicas de 2005, ficou como vice-presidente da Câmara de Castelo Branco. Em 2010, e durante cerca de dois anos, acumulou a função com a presidência do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco.

Em 2017, pelo PS, conquistou cinco mandatos, enquanto o PSD elegeu dois vereadores.

PUB

PUB

PUB

PUB