OMS alerta para maior risco de suicídio durante a pandemia

A Organização Mundial de Saúde alertou para um maior risco de comportamentos suicidas durante a pandemia. Em Portugal, o aumento das taxas de suicídio também aumentou ao longo de 2020. Saiba mais.

  • País
  • Publicado: 2021-02-18
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Internacionalmente, a pandemia do Covid-19 tem originado uma elevada preocupação quanto à saúde mental das pessoas.
Sentimentos negativos, como o medo, a tristeza, a angústia e o isolamento fizeram com que inúmeras pessoas enfrentassem situações de stress, ansiedade e depressão. Estas, por sua vez, encontram-se entre as principais motivações suicidas, o que levou a Organização Mundial de Saúde (OMS) a alertar para os perigos que a pandemia podia ter para a saúde mental das populações.
Em Portugal, o aumento das taxas de suicídio foi efetivamente verificado, ainda que, como vários artigos salientaram, esta questão continue a ser tabu no país. Numa entrevista ao semanário Expresso, Ricardo Gusmão, psiquiatra no Hospital de Magalhães Lemos, referiu mesmo que entre 20 a 60% dos suicídios sejam ocultados e apresentados como acidentes ou morte de causa natural não especificada.
Ainda que assim seja, em 2020, o suicídio do famoso ator Pedro Lima ajudou a alertar para o problema, colocando-o na agenda mediática.
Perante este cenário, a procura de alternativas para garantir a saúde mental dos portugueses – principalmente agora, numa nova fase de confinamento – torna-se essencial.
Conheça a forma como a pandemia está a impactar na saúde mental das populações e as melhores formas de manter um equilíbrio psicológico nesta fase difícil.

 

O impacto da pandemia na saúde mental

Existem inúmeras razões para que a pandemia do Covid-19 motive emoções negativas e afete a saúde mental das populações.
Em primeiro lugar, o medo causado pela própria doença impacta já negativamente na forma de encarar a vida e o mundo. Esta sensação, no entanto, é ainda acentuada pelo isolamento motivado pelas medidas de contenção, que originam situações e sentimentos de solidão. Estas mesmas medidas têm ainda colocado em risco os empregos e as perspetivas de futuro de muitas pessoas e famílias, o que é também um elemento de risco, que causa stress e ansiedade.
Além de tudo isto, a disseminação de notícias falsas e as mensagens de pânico transmitidas por estas fake news também foram motivadoras de emoções negativas.
No seu todo, este tipo de acontecimento e os sentimentos relacionados são fortes motivadores de quadros depressivos e de comportamentos suicidas.

 

Formas de combater a depressão durante a pandemia

O combate à depressão é muito importante para que se evitem comportamentos suicidas e, por isso, torna-se importante explorar as melhores formas de se manter emocionalmente equilibrado.
O recurso a elementos naturais, como gotas ou infusões, pode ser muito útil. A introdução de elementos que possam ajudar a melhorar a gestão emocional pode ser feita explorando, por exemplo, a relação entre CBD e equilíbrio mental ou lançando um olhar sobre infusões de efeito calmante.
Uma alimentação saudável e a prática de exercício físico ajudarão, também, a garantir uma melhor rotina, mais calma e sadia.
Por fim, a prática de atividades prazenteiras e a procura de ajuda especializada, ainda que online, é também útil para o combate à depressão na pandémica. 

PUB

PUB

PUB

PUB