Alcains: Museu do Canteiro expõe presépios "O AMOR é isto [e nada mais]"

A exposição anual alusiva à época natalícia estará patente no Museu do Canteiro pelo 15.º ano consecutivo. Os presépios têm sido bastante diversificados: elaborados a partir de vários tipos de materiais, de autores ou linhas estéticas muito diferentes e de múltiplos pontos geográficos.

  • Cultura
  • Publicado: 2020-11-12
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

O foco comum é no entanto manifesto: a família e o AMOR.

O Natal é a celebração da paz e da fraternidade. É gratidão, é luz, é tempo de acreditar. Mas é sobretudo AMOR. 

A exposição de presépios deste ano que parte (uma vez mais) da coleção do Dr. Francisco Elias trará algumas novidades.

Será dado destaque a uma artista que anualmente se encontra representada na já vasta coleção de presépios do Dr. Francisco Elias e que se destacam pela estética e pela originalidade: a premiada MEG (Maria Eugénia Gomes da Covilhã).

Para além da exposição/venda da Meg também podem encontrar na loja do Museu do Canteiro trabalhos de cerâmica, gesso e pasta de papel da Rosabengala de Aveiro e trabalhos de papel recortado da Gabriela Antunes do Fundão.

 

Francisco Manuel Dias do Coito Elias, nasceu nas Caldas da Rainha, a 5 de Janeiro de 1948, e licenciou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Coimbra, em 1973. Adquiriu a especialidade de Obstetrícia, em 1981, nos Hospitais da Universidade de Coimbra. Atualmente divide o seu tempo com as suas duas lindas netas e é voluntário no Centro Hospitalar Cova da Beira onde exerceu a sua especialidade até se aposentar.  

Dos presépios a expor este ano destacam-se precisamente 2 trabalhos de Meg. 


Maria Eugénia Gomes, ou ‘Meg’, como gosta de ser chamada, nasceu na Covilhã em 1957. Deixou os estudos em Coimbra para trabalhar com crianças numa escola em Lisboa e vê no papel potencialidades educativas. Entre o variado percurso geográfico procura na reciclagem uma forma de inovação. Os ensaios e experiências persistem até hoje, fazendo do papel o elo de ligação entre os variadíssimos materiais que dão forma e nome à sua arte.

Quanto à temática do Natal, para a MEG deve ser celebrado todos os dias. 

PUB

PUB

PUB

PUB