Escuderia Castelo Branco diz que anulação da Baja de Idanha foi precipitada e injustificada

A Escuderia Castelo Branco reagiu nas redes sociais quanto à decisão do município em anular prematuramente a Baja TT Idanha-a-Nova. Agendada para os dias 28 e 29 de Novembro, a prova encerraria o campeonato nacional de Todo-o-Terreno bem como o campeonato Europeu de Bajas.

  • Desporto
  • Publicado: 2020-11-10
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

"Foi com surpresa que a Escuderia Castelo Branco soube da notícia do cancelamento da Baja TT Idanha-a-Nova. A decisão unilateral do presidente do município contraria todos os indicadores e pareceres e representam um forte rombo para a economia do concelho, para os planos da organização, que trabalhava no evento há meses, e nas expectativas de vários concorrentes dos campeonatos para os quais a prova pontuaria e que viram o fim da temporada antecipado", lê-se no Post da página de Facebook da Escuderia.

A Escuderia Castelo Branco foi o primeiro clube em Portugal a organizar um evento de desporto motorizado. O Rali de Castelo Branco, realizado no início de julho, num período em que o país começava o desconfinamento, foi a prova de teste que validou a capacidade da organização em por no terreno alguns dos principais eventos pontuáveis para os campeonatos nacionais.

Os relatórios das mais diversas entidades comprovaram que as medidas de protecção de todos os envolvidos no evento foram bem aplicadas e funcionaram de forma eficaz.

Meses mais tarde, a Escuderia Castelo Branco teve a responsabilidade de organizar a primeira prova de TT no regresso dos campeonatos nacionais de automóveis e de motos. Além disso, a Baja TT do Pinhal teve uma dimensão internacional, pois foi pontuável para a Taça do Mundo FIM de Bajas, e que teve como consequência a participação de inúmeras equipas estrangeiras.

Mais uma vez, em sintonia com as autoridades de saúde pública, as medidas aplicadas permitiram organizar uma prova com esta envergadura de forma segura.

A Escuderia Castelo Branco e os seus responsáveis tem a consciência que o contexto actual é diferente e que a pressão provocada pela pandemia é maior. Contudo, não há qualquer razão para anular a sua realização. Além disso, a organização estava a preparar tudo com o acompanhamento próximo das diversas entidades, sem qualquer receio.

Esta decisão, a duas semanas da realização da Baja TT Idanha-a-Nova é um duro golpe para o concelho e para a região. O tecido empresarial tinha a perspectiva de aumentar a actividade durante esses dias e, de repente, perdeu mais uma oportunidade de lutar contra as dificuldades causadas por este ano atípico.

Para a Escuderia Castelo Branco, esta decisão cria problemas à operação de uma instituição que há 56 anos procura, através dos desportos motorizados, promover a região.

O cancelamento da Baja TT Idanha-a-Nova contribui para o desvirtuar da dimensão desportiva dos campeonatos nacionais de todo-o-terreno de automóveis e de motos. Haviam inúmeros pilotos que tinham ambições legítimas e consideravam a participação na prova marcada para os dias 27, 28 e 29 de novembro. Como última prova do campeonato, seria o palco de quase todas as decisões dos campeonatos de 2020.

A Escuderia Castelo Branco lamenta que esta decisão do município, tomada de forma unilateral, não tenha sido comunicada com outro tipo de consideração.

A Escuderia Castelo Branco e a autarquia são parceiras na última década. Juntas têm trabalhado na organização e promoção de iniciativas que contribuem para o desenvolvimento da região.

A Escuderia Castelo Branco procura, apesar dos obstáculos, continuar a desenvolver a Beira Baixa com base em eventos de desporto motorizado, sempre com uma postura empenhada, sustentada na dedicação dos seus sócios e das centenas de voluntários envolvidos em cada iniciativa, e de cooperação com as mais diversos agentes e entidades regionais.

PUB

PUB

PUB

PUB