Covid-19: Médicos do Centro denunciam insustentabilidade da demora na colocação de médicos de família

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos considera inaceitável o atraso na colocação de médicos de família, recém-especialistas da Região Centro.

  • País
  • Publicado: 2020-09-16
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Em comunicado de imprensa enviado ao Diário Digital Castelo Branco, Carlos Cortes, presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, declara que "Estamos extremamente preocupados. Esta semana assistimos ao regresso da atividade escolar, estamos a aproximar da época outono/inverno onde se pode assistir o aumento ao aumento gradual das infeções respiratórias, e, neste contexto tão sensível, os recém-especialistas em Medicina Geral e Familiar continuam a aguardar a colocação”, denuncia o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos.

Carlos Cortes manifesta apreensão, tal como já o fizera a 28 de julho, para esta incúria e desorganização na gestão de recursos humanos da área da Saúde. “Estamos a aguardar a colocação dos médicos de família, sem se perceber ainda o motivo deste atraso. Já passou mais de um mês depois da publicação do aviso de abertura do concurso e não temos respostas efetivas. “São 396 médicos de família, 65 na região Centro, que estão a aguardar colocação.

“Os médicos de família estão a aguardar colocação para poder desempenhar adequadamente as suas funções e dar resposta à extensa lista de utentes sem médico de família. Por outro lado, face à emergência sanitária que estamos a atravessar e às necessidades dos utentes – especialmente os mais vulneráveis – é urgente contratar os médicos recém-especialistas”.

Exorta Carlos Cortes: “O Ministério da Saúde deve proceder, com carácter de urgência, à colocação dos médicos de família na região Centro, assim como no resto do País, uma vez que, mais do que nunca, é crucial o contributo dos cuidados de saúde primários na resposta à crise sanitária”.

PUB

PUB

PUB

PUB