Ex-aluno da UBI lança obra poética "Detesto Ter Palavras e Não Saber o Que Fazer Com Elas"

André Duarte, ex-aluno da Universidade da Beira Interior (UBI) na Covilhã, instituição onde se formou em Ciências da Comunicação e concluiu o mestrado em Jornalismo, lançou este ano o livro de poesia Detesto Ter Palavras e Não Saber o Que Fazer Com Elas, pela Emporium Editora.

  • Cultura
  • Publicado: 2020-06-22
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Segundo a informação enviada ao Diário Digital Castelo Branco, a par dos estudos académicos na UBI, o autor tem uma grande ligação à região da Beira Interior, já que toda a sua família materna é de Vale de Prazeres, uma aldeia do concelho do Fundão. “A região beirã tem uma magia especial, que marcou a minha infância e o meu crescimento. Há uma genuinidade e uma pureza nas pessoas e nos locais que têm algo de muito poético. O que escrevo não é sobre a beira, mas o que sou tem inegavelmente as suas influências, e isso, de forma inconsciente, está patente na escrita“.

 

O autor, que assina como A M Duarte, refere que “o livro é um exercício de escrita em total liberdade. Raras vezes sei o que vou escrever. Simplesmente vem-me uma palavra, uma frase, uma ideia, e, não sei explicar, mas sinto, sei quando está ali um poema”, e acrescenta, “isto pode soar um pouco presunçoso, mas é desta maneira que me acontece. E então, pego na caneta e parto para o papel e liberto o que não sei que vou dizer, mas digo. É um sentimento visceral, catártico, como se de mim saísse algo que desconheço o que será”. 

 

Nesta que é a sua primeira obra, “não há uma temática, mas, agora à distância, consigo depreender algumas tendências temáticas. Penso que os poemas navegam, isto num sentido bastante lato, por um olhar sobre as relações humanas, o amor, a morte, formando, em alguns casos, um pequeno contar de histórias que constituem quase breves narrativas”, aponta A M Duarte.

 

Em 2018 o autor criou um instagram de poesia (@contracapa_andreduarte), onde desde então publica regularmente poemas da sua autoria. “Entretanto, tudo se precipitou com os concursos literários. De repente, sem ter pensado nisso, tinha um livro feito - aliás, tenho três - e pensei em publicá-lo. Enviei para a Emporium Editora, que gostou do livro e o processo aconteceu todo de forma muito rápida. Só tenho a agradecer-lhes terem confiado e apostado em mim, que não tinha nada publicado, e editarem poesia, um género de menor expressão comercial”.

 

Quanto ao gosto pelo género, confessa: “Foi algo que descobri de que gostava e, sobretudo, precisava, mas não sei bem balizar como ou quando. Vejo a poesia como o pintor que pega numa tela branca e tem o mundo a seus olhos, aquela tela pode ser tudo. E a poesia é isso, é um exercício puro de liberdade. Não temos de respeitar uma estrutura, não há uma fórmula, há apenas o ato de ser livre. De dizer. E isso é tudo”.

 

A sessão de lançamento estava agendada para março, mas devido à pandemia não se concretizou, “mas será feita assim que possível”, afirma. 

 

O livro Detesto Ter Palavras e Não Saber o Que Fazer Com Elas está à venda online na Fnac, Bertrand, Wook e no site da Emporium Editora, em versão física e digital. A M Duarte tem também já confirmada a presença na Feira do Livro do Porto 2020, dia 13 de setembro, às 13h00, onde fará uma sessão de divulgação da obra. A Feira do Livro de Lisboa também está na rota de eventos, embora ainda sem data confirmada.

 

O autor conta com um percurso multifacetado, no qual foi animador na Rádio MEO Sudoeste, autor e editor do programa Nostalgia dos Famosos (Rádio Nostalgia), jornalista do Volante TV (SIC/SIC Notícias) e do semanário AutoSport, sendo atualmente Gestor de Redes Sociais na agência Zoom Motorsport.

PUB

PUB

PUB

PUB