Castelo Branco: Governo falha entrega de 500 PC's a alunos carenciados dos Agrupamentos Escolares do Município

O Secretário de Estado da Transição Digital, André de Aragão Azevedo, perdeu a oportunidade de estar presente na entrega de 500 computadores com pontos de acesso à Internet, que vão ser distribuídos pelos alunos carenciados dos quatro agrupamentos de escolas de Castelo Branco. Todavia, o Vice -Presidente, do CEO (Chief Executive Officer) da Tecnológica Axialis ns, foi substituído pelo Presidente da empresa, Pedro Afonso.

  • Educação
  • Publicado: 2020-05-20
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco com Lusa

Segundo o que o Diário Digital Castelo Branco adiantou no inicio da semana https://www.diariodigitalcastelobranco.pt/noticia/53196/castelo-branco-grupo-vinci-energies-reforca-investimento-da-camara-municipal-ao-tambem-entregar-100-pcs-aos-agrupamentos-escolares-do-concelho-, estava confirmada pelo Presidente da Câmara, Luís Correia, na cerimónia de entrega formal do material informático deste membro do Governo, e do Vice -Presidente, do CEO da Axians, empresa detida pelo Grupo VINCI Energies, com o objetivo de se formalizar a entrega dos computadores.

No entanto, o Diário Digital recebeu um comunicado na tarde da passada 2ª-feira, dia 17 de Maio, referindo a impossibilidade do Secretário de Estado estar presente no assinalável momento para os alunos carenciados do Município em tempo de pandemia.

Como o Diário Digital já tinha anunciado, a Câmara Municipal adquiriu 400 computadores e os respetivos pontos de acesso à Internet e o Centro de Engenharia da Axiens, a funcionar no CEI - Centro de Empresas Inovadoras de Castelo Branco, inaugurado no dia 6 de Março de 2020, marca especializada em consultoria, design, integração e serviços digitais, também ofereceu mais uma centena de computadores, que vão ser distribuídos pelos agrupamentos de escolas Amato Lusitano, Nuno Álvares, Afonso de Paiva e José Sanches e São Vicente da Beira.

"É uma cerimónia singela, mas que consideramos muito importante. Os momentos que vivemos são desafiantes e o sentido de solidariedade é um imperativo para o bem-estar da comunidade", afirmou o presidente da Câmara de Castelo Branco, durante a cerimónia que decorreu no salão nobre da autarquia.

Luís Correia sublinhou que o município de Castelo Branco não poupou esforços para proteger a comunidade albicastrense da pandemia, quer ao nível da saúde, da educação, economia e comércio, apoio às freguesias e às Instituições de Solidariedade Social (IPSS) e apoio direto à população.

"A educação é uma área prioritária ao nível das medidas que tomámos. Reunimos com os diretores dos agrupamentos de escolas para apoiar os alunos mais carenciados. Disponibilizamos 120 mil euros aos agrupamentos e hoje sinalizamos aqui a atribuição de 400 computadores com três meses de acesso à Internet gratuito, um investimento de cerca de 200 mil euros", sublinhou.

O autarca salientou que este gesto pretende apoiar os alunos mais carenciados, sendo que agora cabe aos respetivos agrupamentos de escolas fazerem a gestão dos recursos que lhes foram cedidos.

O município de Castelo Branco estabeleceu ainda uma parceria com o Instituto Politécnico local e a tecnológica VINCI Energies, para a implementação de uma linha de apoio técnico ao ensino em casa que funciona no centro de engenharia da Axiens e que envolve cinco alunos do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB).

Esta linha de apoio está disponível desde o final de abril e até ao momento já recebeu uma centena de chamadas de famílias.

O presidente do IPCB, António Fernandes, realçou o esforço que os agrupamentos de escolas fizeram para se adaptarem à transformação digital urgente.

"Não sei se vai ficar tudo bem [no pós-pandemia], mas sei que certamente vai ficar tudo diferente. A transformação digital obriga também a alguma transformação organizacional", frisou.

Já o administrador da Vinci Energies Portugal, Pedro Afonso, enalteceu os cinco alunos do IPCB que em formato ‘pro bono' estão a assegurar o serviço da linha de apoio técnico ao ensino.

"Mais uma vez fizemos uma parceria para resolver um problema", sublinhou.

A diretora do Agrupamentos de Escolas José Sanches e S. Vicente da Beira, Rosa Caetano, falou em nome dos quatro agrupamentos do concelho de Castelo Branco e agradeceu a ajuda da autarquia e dos restantes parceiros.

"Esta é uma nova realidade para a qual não estávamos preparados. Foi preciso dar um salto. Um dos maiores dramas enquanto professora é não chegar a todos por não terem meios", disse.

A docente salientou que este foi o maior desafio, mas que foi colmatado pelo município e pelos parceiros.

"Se a educação é igualdade de oportunidades, esta é uma medida que levou a essa igualdade de oportunidade", concluiu.

PUB

PUB

PUB

PUB