Castelo Branco: Gonçalo Salvado lança obra em homenagem a Carolina Gil

“O Que a Primavera Faz Com as Cerejeiras” é a nova obra do poeta albicastrense, Gonçalo Salvado. O livro é uma homenagem a Carolina Gil, uma jovem bailarina que faleceu no início deste ano, vítima de cancro. 

  • Cultura
  • Publicado: 2020-05-14
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

O último desejo da jovem era que após a cremação, as suas cinzas se tornassem numa cerejeira. Contudo, as cerejeiras são árvores frágeis e delicadas e, por isso, a família de Carolina Gil optou por colocar as cinzas numa árvore do carvalho. 

Gonçalo Salvado não esqueceu o último desejo da jovem bailarina portuguesa, e, por isso, o novo livro de poesia, que nasce sob o signo do amor e da cerejeira, tornou-se na materialização simbólica do último desejo de Carolina Gil.

A obra reúne poemas curtos do autor, alusivos à flor e ao fruto da cerejeira, no contexto amoroso e erótico, pois a cereja é considerada um símbolo de sensualidade, erotismo e sexualidade. 

A ilustração coube ao escultor José Rodrigues e o texto de abertura tem a assinatura de Maria João Fernandes. O último desejo da jovem era que após a cremação, as suas cinzas se tornassem numa cerejeira. Contudo, as cerejeiras são árvores frágeis e delicadas e, por isso, a família de Carolina Gil optou por colocar as cinzas numa árvore do carvalho. 

Gonçalo Salvado não esqueceu o último desejo da jovem bailarina portuguesa, e, por isso, o novo livro de poesia, que nasce sob o signo do amor e da cerejeira, tornou-se na materialização simbólica do último desejo de Carolina Gil.

A obra reúne poemas curtos do autor, alusivos à flor e ao fruto da cerejeira, no contexto amoroso e erótico, pois a cereja é considerada um símbolo de sensualidade, erotismo e sexualidade. 

A ilustração coube ao escultor José Rodrigues e o texto de abertura tem a assinatura de Maria João Fernandes. 

 

PUB

PUB

PUB

PUB