Ténis do Hotel Colina de Castelo Branco promove Prova Oficial da Federação Portuguesa

O ‘Castelo Branco Open Sub 18’, torneio de ténis nível B promovido nos dias 28 e 29 de dezembro pela Academia de Ténis de Colina do Castelo, despertou o interesse de jovens tenistas de vários pontos do país que procuraram nesta última prova do calendário oficial de provas obter pontos para a classificação individual.

  • Desporto
  • Publicado: 2020-01-06
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

O ‘Castelo Branco Open Sub 18’, torneio de ténis nível B promovido nos dias 28 e 29 de dezembro pela Academia de Ténis de Colina do Castelo, despertou o interesse de jovens tenistas de vários pontos do país que procuraram nesta última prova do calendário oficial de provas obter pontos para a classificação individual.

Segundo informação a que o Diário Digital teve acesso, a primeira edição da prova, realizada nos campos do Hotel Tryp Colina do Castelo e nos campos da Associação Recreativa e Cultural do Bairro do Valongo, contou com a participação de 16 jovens tenistas em representação de 13 clubes sedeados em várias localidades, nomeadamente de Caldas da Rainha, Castelo Branco, Coimbra, Covilhã, Idanha-a-Nova, Lisboa, Porto, Torres Novas e Évora.

Na prova de singulares, a final foi disputada por Guilherme Silva, do Clube de Ténis do Porto, e por João Dinis Ribeiro, da Escola de Ténis da Maia. Guilherme Silva, a defender o estatuto de primeiro cabeça de série do torneio e sétimo no ranking nacional, não conseguiu confirmar o seu favoritismo ao ceder, após 2H30m, perante João Dinis Ribeiro, segundo cabeça de série, por 2/1. Após um primeiro set muito disputado, que caiu para João Ribeiro com o resultado 7/5, Guilherme Silva conseguiu recuperar no segundo set e vencer por 6/3, obrigando João Ribeiro a disputar uma terceira partida. No terceiro set, o jogador da Escola da Maia apresentou um ténis mais sólido e agressivo vencendo por 6/1.

Na variante de pares, os finalistas da prova de singulares defrontaram-se novamente. Guilherme Silva fez par com João Gonçalves, jogador que milita na equipa do Riba Clube, enquanto João Dinis Ribeiro constituiu dupla com Henrique Petiz, também da Escola de Ténis da Maia. A final de pares, tal como demonstra o resultado, foi muito equilibrada e disputada sendo necessário recorrer a um super tie-break para decidir o vencedor, tendo a vitória recaído para a dupla da Maia pelos parciais 6/7(4), 6/3 e 10/8.

Com esta última prova de 2019, João Ramalho e Nuno Pissarra, diretor de prova e juiz árbitro respetivamente, congratulam-se com o elevado número de jogadores, familiares e treinadores que trouxeram a Castelo Branco ao longo do ano, contribuindo assim para a promoção da cidade e desenvolvimento económico da mesma.

Para o ano 2020, a Academia tem na sua agenda a realização de mais duas provas nível B do Calendário Nacional da Federação Portuguesa de Ténis, uma do escalão sub 14 e outra sub 18, e do torneio internacional “Internacionais de Ténis de Castelo Branco”, prova pontuável para ranking mundial.

 

PUB

PUB

PUB

PUB