Energia: Tarifa do gás natural deverá aumentar mais do que 3,2 por cento este ano

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos deverá anunciar hoje uma subida da tarifa do gás natural para os clientes domésticos superior aos 3,2 por cento do aumento do ano passado, influenciado sobretudo pela subida do preço do petróleo.

  • Economia
  • Publicado: 2011-04-15 06:51
  • Autor: Diario Digital Castelo Branco/Lusa
A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos deverá anunciar hoje uma subida da tarifa do gás natural para os clientes domésticos superior aos 3,2 por cento do aumento do ano passado, influenciado sobretudo pela subida do preço do petróleo.

Em abril do ano passado (ao anunciar as tarifas para o ano-gás até abril deste ano), a ERSE tinha justificado o aumento de 3,2 por cento na tarifa com a "evolução do preço do petróleo", uma vez que o preço do gás natural (através dos contratos "take or pay") está indexado à cotação do petróleo em euros.

"Entre as previsões de abril do ano passado e a presente proposta tarifária, o custo do Brent (petróleo do mar do Norte) subiu mais de 30 por cento, pelo efeito conjugado do aumento do preço do petróleo bruto com a desvalorização do euros face ao dólar", explicava então a ERSE.

Face a abril de 2010 (em que cada barril de Brent custava em média 60,5 euros), o preço do petróleo subiu mais de 36 por cento, para cerca de 82 euros. Caso a ERSE reflita diretamente esta subida (e sem nenhum outro factor) então a subida da tarifa será superior aos 3,2 por cento do ano passado.

Um aumento global de 3,2 por cento na tarifa de gás natural, estima a ERSE, equivale a um acréscimo de 29 cêntimos para uma fatura média de 11,41 euros por mês, o que corresponde a um casal sem filhos e um consumo anual de 150 metros cúbicos (m3) de gás por ano.

A proposta da ERSE para as tarifas do gás natural para os domésticos terá de aguardar parecer do conselho tarifário (que adotou a proposta com poucas oscilações na maioria das vezes) e os novos preços entrarão em vigor a partir de 01 de julho próximo, valendo depois por um ano.

Em 2008, a ERSE fez descer a média nacional das tarifas em 3,8 por cento e em 2009 em 3,9 por cento.

O gás natural em Portugal depende de quatro contratos de longa duração (alguns deles superiores a 10 anos) com a Argélia e a Nigéria, indexados ao preço do petróleo, que está em alta nos últimos 12 meses.

Este aumento proposto hoje pela ERSE apenas diz respeito aos clientes com consumos abaixo de 10 mil metros cúbicos de gás por ano, o que inclui mais de 1 milhão de clientes, ou seja domésticos e micro e pequenas empresas.

As tarifas dos grandes consumidores e consumidores industriais têm uma variação trimestral.

A Lusa contactou a ERSE para obter mais pormenores sobre o previsível aumento das tarifas, mas fonte oficial do regulador remeteu qualquer esclarecimento para um comunicado sobre o assunto que a entidade vai divulgar esta tarde.

PUB

PUB

PUB

PUB