Miguel Relvas diz que é "absurdo" que FMI negoceie com os partidos

O Secretário-Geral do PSD, Miguel Relvas, disse que o “absurdo” chegou ao ponto de o ministro das Finanças dizer que os partidos negociariam com o FMI e Banco Central Europeu quando estes negoceiam com governos.

  • Economia
  • Publicado: 2011-04-09
  • Autor: Diario Digital Castelo Branco
O Secretário-Geral do PSD, Miguel Relvas, disse que o “absurdo” chegou ao ponto de o ministro das Finanças dizer que os partidos negociariam com o FMI e Banco Central Europeu quando estes negoceiam com governos.

“Para o bem e para o mal Portugal tem um Governo em gestão”, afirmou Miguel Relvas, à margem de um jantar com militantes em Sernancelhe, distrito de Viseu.

O ministro das Finanças defendeu hoje que cabe às instituições internacionais a responsabilidade de negociar com a oposição o pacote de assistência a Portugal, apesar de Bruxelas considerar que essa é a tarefa do Governo.

“Eu sei que o que Governo há muito que não quer assumir as suas responsabilidades. Sabemos que este governo foge da responsabilidade, para além de insensível é muito irresponsável”, salientou.

Miguel Relvas espera que Portugal possa encontrar uma solução numa primeira fase que permita “resolver os problemas com que se confronta a curto prazo”.

“Para depois termos a perspetiva de um Governo novo, legitimado pela vontade dos portugueses, possa esse Governo ser capaz de encontrar as soluções. Pensar um novo Portugal, diferente”, salientou.

O Secretário-Geral do PSD referiu ainda que “o pedido de ajuda não pode significar um fator de desesperança”.

“Nós temos que olhar para a frente e este pedido de ajuda tem que ser o ponto de partida para nós resolvermos os nossos problemas”, disse.

PUB

PUB

PUB

PUB