Estratégia para o Pinhal Interior apresentada à Comissão Europeia

O Plano de Ação da Intervenção Integrada de Base Territorial do Pinhal Interior, que terá uma dotação de 45 milhões de euros de fundos europeus, foi apresentado ao Comité de  Acompanhamento do Programa Operacional Regional do Centro (Centro 2030), que reuniu esta 4ª-feira, 25 de junho, em Pedrógão Pequeno.

  • Economia
  • Publicado: 2024-06-26 17:46
  • Por: Diário Digital Castelo Branco

Focado nas opções estratégicas definidas por um conjunto muito alargado de agentes do território, o Plano de Ação da Intervenção Integrada de Base Territorial do Pinhal Interior aposta em instrumentos que procuram responder, em primeiro lugar, ao desafio demográfico, mas também contribuir para a promoção do empreendedorismo e inovação tecnológica e territorial e a revitalização do espaço rural.

Isabel Damasceno, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDR Centro), explica que «no sentido de dar um contributo decisivo para o Plano de Revitalização do Pinhal Interior, foi incluído no Programa Centro 2030 uma dotação de 45 milhões de euros para apoiar projetos transformadores no Pinhal Interior. Na reunião do Comité de acompanhamento foram apresentadas as linhas de força do Plano de Ação Estratégico, que está a ser elaborado pelo consórcio constituído pela ADXTUR - Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto e pelas Comunidades Intermunicipais da Beira Baixa, Beiras e Serra da Estrela, Médio Tejo, Região de Coimbra e Região de Leiria».

Foi também apresentado ao Comité de Acompanhamento, o ponto de situação do Programa Centro 2030, que dispõe de 2,2 mil milhões de euros de fundos europeus para financiar investimentos na região.  Até ao momento já foram abertos 59 concursos, com uma dotação de 693 milhões de euros. Foram aprovados 89 projetos, que correspondem a investimentos de 66 milhões de euros, na competitividade das Pequenas e Médias Empresas (PME), no acesso à educação e formação, na cultura e turismo sustentáveis e em projetos do Fundo para uma Transição Justa.

A reunião contou com a presença de representantes da Comissão Europeia, da Agência para o Desenvolvimento e Coesão, organismos intermédios dos sistemas de incentivos, Comunidades Intermunicipais, Grupos de Ação Local e vários parceiros regionais como as associações empresariais, sindicatos, municípios, politécnicos e universidades.

PUB

PUB

PUB

PUB