Politécnico de Castelo Branco tem módulo contentorizado de datacenter

O Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB), por via do protocolo com a Fundação para a Computação Científica Nacional, da Fundação para a Ciência e Tecnologia, e ao abrigo de um projeto com vista ao reforço da capacitação técnico-científica da Rede Ciência, Tecnologia e Sociedade, acaba de instalar um módulo contentorizado de datacenter.

  • Educação
  • Publicado: 2021-11-18 18:47
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Segundo informação a que o Diário Digital Castelo Branco teve acesso, o espaço, onde foi montado o centro de processamento de dados do IPCB, já está operacional, depois de concluída a migração da antiga sala de servidores dos serviços centrais para a Escola Superior de Educação.
Financiado a cem por cento (€109.920,29), trata-se de um equipamento moderno, apto ao alojamento das infraestruturas tecnológicas de suporte ao bom funcionamento da instituição. Com um espaço disponível de 4,80 por 4,50 metros, este permite a instalação de uma dupla fila de bastidores, expansível até sete metros, o comprimento máximo da sala.
Dentro do módulo contentorizado foi criada uma ilha constituída por seis bastidores, numa estrutura expansível por adição de módulos superiores de selagem do frio. O sistema é composto por tampas de cobertura, colocadas na vertical, e que fazem a selagem entre as zonas fria e quente, não criando obstruções à saída de ar das unidades de ar condicionado.
A ilha de bastidores está equipada com sistema de climatização com recolha do ar quente no topo dos corredores quentes e o envio do ar frio para o corredor frio. A estrutura é composta por duas unidades top cooling, uma por cada fila, com capacidade de arrefecimento de 13,4 kW, insuflação frontal descendente e retorno por cima, e ajuste automático do caudal e ar.
Para os caminhos de distribuição de energia, dados cobre e fibra ótica, optou-se por caminhos de fixação aérea, suportados por cima dos bastidores. Estes são compostos por módulos de duas camadas, sendo a inferior para energia e a superior para dados, cobre e fibra.

O módulo está dotado de uma infraestrutura de corrente alternada, proveniente de quadro geral de edifício, no qual foram instalados dois circuitos redundantes de alimentação aos bastidores, ambos com ligação a duas UPS de 15kVA. A distribuição de energia contempla um quadro geral e dois socorridos, bem como toda a infraestrutura de suporte de cabos elétricos, rede de terras e acessórios. Ambos possuem analisadores de energia compatíveis com a plataforma de monitorização e gestão técnica do módulo, o qual está ainda equipado com sistema de controle de acessos, constituído por uma unidade autónoma de ligação IP com leitura por impressão digital, smart-card e pin.

Com certificação de resistência ao fogo segundo a EN 13501-2, corta-fogo de 120 minutos, a estrutura modular possui um sistema de deteção e extinção de incêndio por meio de gás, o qual funciona por inundação total mediante agente extintor NOVEC 1230, denominado FK-5-1-12 (Dodecafluoro-2-methypentan-3-one), e segundo as normas ISO 14520 e NFPA 2001.
Em 2015 o IPCB havia já remodelado o seu datacenter, melhorando então as condições de funcionamento, segurança e alojamento dos servidores aplicacionais, bem como apostando na eficiência energética ao instalar sistemas de arrefecimento redundante. Com a presente atualização, o centro de processamento de dados do Politécnico de Castelo Branco passa a dispor de capacidades de excelência a nível de infraestrutura, refrigeração, energia, segurança, bem como capacidade de expansão, potenciando a criação de infraestruturas digitais administrativas, de ensino e de investigação de forma distribuída e/ou virtual.

PUB

PUB

PUB

PUB