Autárquicas/Castelo Branco: Leopoldo Rodrigues manifesta abertura a entendimento político ao tomar posse

O presidente da Câmara de Castelo Branco, Leopoldo Rodrigues, afirmou esta 6ªfeira, dia 15 de Outubro, no discurso de posse, estar ciente que não tem a maioria na câmara e manifestou “abertura para o diálogo”, para encontrar “entendimentos” com as outras forças políticas.

  • Região
  • Publicado: 2021-10-15 23:59
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco com Lusa

Eleito pelo PS, Leopoldo Rodrigues não conseguiu obter maioria absoluta e afirmou que está bem ciente de que os socialistas não têm a maioria na câmara e assembleia municipal de Castelo Branco.

E, neste âmbito, disse que “aumenta a nossa disponibilidade para, com humildade e abertura para o diálogo, encontrar junto das outras forças políticas representadas nestes órgãos, os entendimentos necessários” para a concretização das suas propostas para Castelo Branco.

Reafirmou que pretende dar um novo impulso para Castelo Branco, “um concelho mais amigo das pessoas, mais justo, inclusivo e afirmativo” e sublinhou que a construção do futuro de um concelho, “não é, nunca foi e não pode ser a opinião de um só”.

“Mal seria se assim fosse. Não há homens providenciais. Este é um desafio coletivo que temos pela frente, é um desafio para toda a nossa comunidade. Temos que ser capazes de mobilizar todos, sem deixar ninguém para trás. O futuro de Castelo Branco é uma obra de e para todos, repito de todos os albicastrenses”, frisou.

Leopoldo Rodrigues deixou ainda bem claro que não pede que todos pensem da mesma maneira e mostrou-se disponível para escutar todos, para considerar todos os contributos e até para a crítica, desde que esta seja construtiva.

“Mas, permitam-me também que vos diga que valorizo sempre mais quem traz soluções do que quem se esconde no enunciado dos problemas. Há um tempo para escutar e um tempo para decidir e fazer. Serei um presidente de proximidade”, sustentou.

O autarca disse ainda que a primeira prioridade para Castelo Branco tem que ser o desenvolvimento económico, a criação de emprego qualificado e com futuro.

Leopoldo Rodrigues entende que só assim é possível aos jovens e outros que se queiram radicar no concelho encontrar as condições para se realizarem tanto pessoal como profissionalmente.

“Que fique bem claro, o programa com que nos apresentamos às eleições é o nosso programa de ação, enquanto presidente e executivo da Câmara Municipal de Castelo Branco”.

Uma das grandes prioridades de Leopoldo Rodrigues passa por “fixar e atrair mais pessoas” para o concelho.

O autarca voltou a elencar um conjunto de propostas que apresentou aos eleitores durante a campanha eleitoral, nomeadamente, a construção de um novo centro de saúde de última geração em Alcains ou a criação de habitações a rendas acessíveis.

“Não serei o presidente autossuficiente, fechado numa redoma. Pretendo ser um presidente de confiança e um presidente de ação. Assumo com total responsabilidade, mas também com enorme honra por estar ao vosso serviço, a presidência da Câmara Municipal de Castelo Brancom à frente de uma equipa jovem, motivada e altamente qualificada. Uma equipa em que eu confio plenamente”, concluiu.

Pelo SEMPRE – Movimento Independente tomaram posse o cabeça de lista Luís Correia, Jorge Pio e a 5ª candidata, Ana Ferreira, uma vez que Cláudia Soares e Carlos Semedo, terceira e quatro candidatos eleitos respetivamente , renunciaram ao cargo por razões de incompatibilidade profissional. 

Pela coligação de direita (PSD/CDS-PP/PPM), tomou posse o cabeça de lista João Belém, que é o fiel da balança em caso de desempate na deliberação do executivo camarário. 

De recordar que João Belém, declarou ao DDCB na noite das eleições que as suas decisões nas próximas reuniões de Câmara serão sempre "só depois de analisar o assunto em discussão, tomarei as decisões que forem mais corretas em prol do concelho" afirmou. O que quer dizer que rejeita, para já, assumir qualquer espécie de coligação no futuro executivo.

 

PUB

PUB

PUB

PUB