Autárquicas2021/Castelo Branco: Candidato do PS quer 100 novas habitações de renda acessível por ano

O candidato do PS à Câmara de Castelo Branco nas autárquicas de setembro, Leopoldo Rodrigues, assumiu hoje o compromisso de construir anualmente pelo menos 100 novas habitações de renda acessível.

  • Região
  • Publicado: 2021-07-24 00:00
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco com Lusa

“Não, nós não nos resignamos a ver o nosso parque habitacional abandonado e degradado, sobretudo na zona histórica, quando poderia ser aproveitado para acolher novos residentes, novas famílias albicastrenses de génese ou de coração, que a crise demográfica exige que venham viver entre nós. Nesse sentido assumimos aqui hoje perante todos vós o compromisso de construir anualmente pelo menos 100 novas habitações de renda acessível”, afirmou o socialista na apresentação da sua candidatura, em Castelo Branco.

Leopoldo Rodrigues disse que, para tornar este compromisso numa realidade, conta com as verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e com os meios financeiros do município de Castelo Branco.

“Queremos captar mais empresas, empresas que possam criar mais emprego, emprego melhor remunerado. Queremos criar mais riqueza no nosso concelho. Queremos um concelho que seja atrativo para os empresários, um concelho amigo dos investidores e amigo dos trabalhadores. Queremos atrair investimento internacional”, afirmou.

Em resposta às intenções reveladas pelo candidato socialista em relação ao parque habitacional para Castelo Branco, o secretário-geral do PS, António Costa, afirmou que o PRR tem 2.750 milhões de euros para financiar estratégias municipais de habitação.

“Temos as verbas para alargar a todo o país o esforço do investimento no transporte público que não pode estar concentrado nas duas áreas metropolitanas. Mas, como já acontece, tem que começar a alargar-se a todas as comunidades intermunicipais e assegurar de facto uma verdadeira rede nacional de transportes públicos”, afirmou.

António Costa disse ainda que vai assegurar com fundos do PT2030, que o desenvolvimento da próxima rede 5G não se concentre nos grandes centros urbanos.

“Para suprir o menor interesse das empresas em investir nos territórios de baixa densidade e nos territórios do interior menos povoados, nós vamos assegurar com fundos do PT 2030 a cobertura integral em todo o território nacional da rede 5G”, frisou.

Por último, disse que há boas razões para estarmos confiantes no futuro.

“Apesar da crise que estamos a viver, no primeiro trimestre deste ano fixou-se um novo máximo histórico no investimento empresarial em Portugal: 6,9 mil milhões de euros. Mais de um terço da famosa bazuca europeia. Foi o investimento que as empresas realizaram no meio desta crise. O que significa que as empresas e os empresários têm não só capacidade de iniciativa e de empreendedorismo, como têm confiança no futuro do nosso país”, concluiu.

Por seu turno, o candidato do PS deixou ainda claro que quer colocar Castelo Branco na dianteira da transformação digital, e propõe que o concelho seja uma zona piloto para instalar a rede 5G.

“Prometemos investir fortemente nas infraestruturas que dotem todo o concelho com a cobertura das mais modernas tecnologias, que nos permitam atrair empresas e centros de investigação, mas também tornar Castelo Branco e as suas freguesias em terras atrativas para todo o tipo de nómadas digitais”, sustentou.

Segundo Leopoldo Rodrigues, a sua aposta passa também pelo apoio ao empreendedorismo, ao desenvolvimento científico, à inovação e à criação de ‘startups’.

Reabilitação urbana, ambiente, tecnologia, criatividade, modernidade e progresso são as bases da candidatura socialista à Câmara de Castelo Branco.

“Temos uma ambição clara: fazer de Castelo Branco uma verdadeira referência de centralidade no Interior de Portugal. Explorando a proximidade a Espanha e no caminho da Europa, mas igualmente aos centros urbanos, económicos e empresariais mais importantes do nosso país”, sublinhou.

E, aproveitando a presença do secretário-geral do PS na cerimónia, Leopoldo Rodrigues pediu a António Costa “especial atenção” para a necessidade de obras verdadeiramente estruturais, que são indispensáveis para a região.

“Falo, por exemplo, da ligação a Espanha através do IC31, cuja construção há tanto tempo reivindicamos, que reforça a nossa competitividade interna e nos aproximará de Madrid e do centro da Europa. Falo também de um plano de barragens e de gestão de água que permitam enfrentar a crise climática com bases cada vez mais sólidas, mas sempre com realismo, civismo e respeito pela Natureza. Falo da construção das barragens do Barbaído e do Alvito”, disse.

Leopoldo Rodrigues referiu que a sua candidatura é de proximidade com os cidadãos, “não é uma candidatura para alimentar egos e vaidade pessoal”.

“Esta é uma candidatura lançada para restaurar o prestígio das instituições e fazer com que Castelo Branco seja falada pelas boas razões, como cidade de gente boa que é e quer continuar a ser”, concluiu.

Nas eleições de 2017, o PS conquistou cinco mandatos, enquanto o PSD elegeu dois vereadores.

Na corrida à presidência da autarquia, além de Leopoldo Rodrigues (PS), foram até agora anunciadas as candidaturas de João Belém (PSD/CDS-PP/PPM), Rui Paulo Sousa (Chega), Luís Correia (Sempre – Movimento Independente), Rui Amaro Alves (MI – Castelo Branco Merece Mais), Felicidade Alves (CDU) e Margarida Paredes (BE).

As eleições autárquicas realizam-se a 26 de setembro.

PUB

PUB

PUB

PUB