Eleições - PSD Castelo Branco: Moradias quer apoio de Conselho Consultivo se for eleito

O Ex-Vereador Social-democrata da Câmara Municipal de Castelo Branco, Paulo Moradias, ladeado de João Belém e António Melo Bernardo, formalizou na passada  2ªfeira, dia 13 de Setembro, a sua recandidatura à presidência da Comissão Política Concelhia do Partido Social Democrata (PSD) local, com eleições marcadas para o próximo Sábado, dia 19 de Setembro.

  • Região
  • Publicado: 2020-09-16
  • Autor: José António Baleiras

 “Acho muito positiva a existência de duas candidaturas porque é um sinal de vitalidade do Partido Social Democrata (PSD), mas, mais importante do que haver duas, três ou mais candidaturas, é o foco e os objetivos das mesmas", afirmou o candidato.

Para Paulo Moradias, quando as candidaturas tem o foco em prol do partido, há outros objetivos subjacentes que têm a ver com as pessoas, com as profissões e com projetos de cidadania, “onde a troca de ideias, fortalece sempre mais o PSD”.    

Para dar um sinal da agregação e união dos militantes ao partido, e porque a lista A pensa que, uma Comissão Política tendo 21 nomes, com uma mesa de plenário de 4, dá 25 pessoas e porque entende que o partido é muito mais que isso, a grande novidade desta candidatura é a criação do ‘Concelho Consultivo’ para o qual foi convidado, para a sua criação e presidência, o militante António Melo Bernardo. 

Trata-se de um novo órgão da Comissão Politica de Castelo Branco, formado por um grupo de pessoas com capacidade e vontade de colaborar no apoio às suas decisões e propostas para o Concelho, "seja em termos económicos, seja na área da saúde, seja na área da educação, seja na área social, em todas estas vertentes este grupo vai ajudar a Comissão Politica", declarou Paulo Moradias.

Para o candidato, grande parte das pessoas ligadas à lista C, liderada por Carlos Almeida, subscrevem as ideias da lista A e acabarão por aceitá-las como suas, a partir de dia 20. Por se tratar da união do Partido, Moradias também as vai convidar para participarem no projeto para se reconquistar o Município e a confiança dos eleitores, porque diz que o PSD é um partido de poder. “O Concelho de Castelo Branco vive há 23 anos com a governação do mesmo partido que chegou a um beco sem saída e está em fim ciclo, uma vez que as estruturas socialistas locais, já nem entre elas se entendem e é “extraordinariamente importante que desta vez o PSD se apresente nas eleições de 2021 como uma verdadeira opção de poder executivo e que se apresente com um nível de confiança aos munícipes que não ofereça dúvidas eleitorais", declarou.

Apesar de ter anunciado a sua candidatura pela lista A por uma página do Facebook e valorizar os órgão de comunicação social para passar a mensagem do PSD, Paulo Moradias diz valorizar muito o ganhar da confiança das pessoas ao falar diretamente com elas. “O trabalho para se alcançar os munícipes não pode ser só redes sociais e órgão de comunicação social. O PSD tem que ir para o terreno e abordar as pessoas e falar com elas e ficar a conhecer os seus interesses, problemas e anseios para melhorar o seu bem-estar pessoal e comunitário. As pessoas conhecem-nos e para se ganhar as eleições autárquicas temos conquistar uma relação de confiança com as pessoas. Se nos limitarmos às redes sociais e com a mensagem que passamos nos meios de comunicação social, não chegamos lá. Temos que ir para o terreno e conversarmos com as pessoas para que elas fiquem a conhecer por nós, que as nossas ideias para o desenvolvimento do concelho são as melhores e recolocar o PSD no lugar que é o seu, e nisto estamos melhor preparados que a lista que nos opõe, " afirma Moradias.

No uso da palavra o candidato a Presidente da Mesa do Plenário, João Belém, afirmou que “na sequência do que disse o futuro presidente da Comissão Politica, pouco há mais a acrescentar, a não ser que estamos todos empenhados que com esta candidatura, unir, fundamentalmente, unir todos os companheiros e lutar para que o município de Castelo Branco seja melhor. É um objetivo que está inerente, não só, aos militantes do PSD mas a toda a comunidade que nos envolve. Todos estamos empenhados em melhorar e ter mais qualidade de vida, com uma estratégia diferente da dos outros e tentar atingir o sucesso que muitos até agora não conseguiram. No fundo é o que nós queremos”, concluiu.

Já, António Melo Bernardo, na sua intervenção, antes de agradecer o convite para presidir ao futuro Concelho Consultivo que a Lista A quer criar, fez questão de lembrar o lugar que desempenhava como Diretor de Segurança Social do Centro Distrital de Castelo Branco durante 8 anos, o impediu de ter atividade politica. Não por ser incompatível por lei, mas por iniciativa própria, Melo Bernardo, afastou-se da lide politica por achar que ser executivo na área da Segurança Social teria que estar acima da atividade partidária, apesar de sempre se saber qual era e é a sua área partidária.

“Toda a gente sabe e soube sempre qual era a minha identificação partidária, mas a verdade é que tive sempre o cuidado de afastar aquilo que é a atividade político-partidária da atividade executiva dos governos para a área da ação segurança social, formação e emprego”, afirmou, para dizer de seguida que “retomo de forma mais assídua aquilo que é atividade partidária, num órgão que não existe estatutariamente à semelhança da figura do mandatário, mas a verdade é que ter-mos aqui uma equipa que quer ganhar, que quer congregar, conseguir chamar para junto de si um conjunto de militantes, que com a sua experiência, não só politica, mas também cívica pode ajudar a Comissão Politica na resolução, nas melhores escolhas e sobretudo nas melhores opções, eu acho isto é congregar, é unir o partido não só a nível interno mas também do exterior e dos cidadãos a nível geral”, a terminar Melo Bernardo quis dizer “Vêm aí momentos particularmente difíceis para nós, porque temos que dar a volta, e dar a volta não é continuar, é mudar e mudar para ganhar. O PSD tem que ter uma visão de futuro, propostas concretas, realizáveis, credíveis e que estejam de acordo com as necessidades das pessoas, quer sejam idosos, jovens ou crianças”.       

Paulo Moradias afirmou que o PSD, como outras instituições, é constituído por pessoas e será sempre o resultado da soma das suas vontades. Será mais forte quando a vontade das pessoas for agregar. Será mais fraco quando for dividir. O partido será novamente a força representativa do Concelho quando as pessoas que o constituem apostarem em projectos para a sociedade, globais e não pessoais.

Todos os elementos da lista encabeçada por Paulo Moradias pode ser consultada na sua página de candidatura no Facebook https://www.facebook.com/PSDlistaAConcelhiacastelobranco

PUB

PUB

PUB

PUB