Atirador de Proença-a-Nova vence V Campeonato do Mundo de Trap 5

O proencense Davide Rodrigues, natural das Giesteiras, sagrou-se Campeão do Mundo na modalidade Trap 5, numa competição que se disputou no Algarve de 4 a 6 de setembro, tendo terminado a prova com 171 pontos, mais três que o segundo classificado, estabelecendo igualmente um novo recorde.

  • Desporto
  • Publicado: 2020-09-09
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Segundo a informação enviada ao Diário Digital Castelo Branco, o atirador proencense acertou em 149 pratos em 150, quando anteriormente o máximo estava nos 148/150. Depois de ter participado na final do ano passado, tendo terminado a prova em quinto lugar, o pódio agora alcançado é o resultado do muito esforço colocado nesta modalidade que resulta de uma paixão que vem de há muito. “Sou caçador e atirador e gosto muito de lidar com armas e da prática desportiva de tiro”, refere o atleta, com orgulho e emoção. Federado há cinco anos, e filiado na Associação de Caçadores de Mira, Davide Rodrigues explica que esta é uma modalidade recente, com cerca de seis anos, e que não existe em muitos países, havendo muitos praticantes em Portugal e Espanha. Devido à pandemia, os 196 atletas presentes no V Campeonato do Mundo eram provenientes destes dois países, faltando representantes da Inglaterra e França que também costumam estar presentes.

Este é o segundo título da sua carreira, depois de ter conquistado a Taça de Portugal de Fosso Universal com 99/100 no ano passado. O próximo objetivo é a participação no Campeonato da Europa que se realizará em novembro deste ano em Sevilha. “Também vou tentar lutar por esse título”, afirma. A partir do próximo ano, o atleta de 36 anos irá tentar iniciar a competição na modalidade de fosso olímpico: “é o sonho de qualquer atirador de alta competição”, refere, acrescentando que até ao momento ainda não foi possível conciliar esta vertente do tiro com a sua vida profissional. No entanto, como em 2021 inicia um novo ciclo de preparação para uma possível presença nos Jogos Olímpicos, é a altura ideal para se iniciar nestas competições.

Uma das principais dificuldades que sente enquanto atleta, tanto na modalidade de Trap 5 como futuramente na de Fosso Olímpico, é a inexistência de campos de treinos nas proximidades (os distritos de Castelo Branco e Portalegre não têm campos preparados para estes desportos). Ainda assim, o Campo de Tiro da Nave à Metade, em Proença-a-Nova, é procurado por muitos atletas para o treino possível tendo em conta que há apenas uma máquina a lançar pratos. Davide Rodrigues espera agora que a conquista do título possa ser argumento suficiente para se fazer o investimento na aquisição de cinco máquinas. João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, refere que “haverá um olhar diferenciado para esta modalidade”, até para capitalizar os investimentos já realizados no Campo de Tiro. “Em meu nome pessoal e em nome do Município congratulo o Davide pelo feito realizado”, refere.

Para quem não conhece as modalidades, Davide Rodrigues deixa uma explicação muito simples: no Trap 5 existem cinco máquinas dentro do fosso em que cada máquina lança 5 pratos em ângulos diferentes, perfazendo um total de 25 pratos, utilizando-se cartuchos de 24 gramas. Na modalidade de fosso olímpico são 15 máquinas, utilizando na mesma as 24 gramas. Faz parte das modalidades olímpicas desde 1900 (masculinos) e 2000 (femininos).

 

 

PUB

PUB

PUB

PUB