Beira Interior prevê quebra de 10 a 15% na produção de vinho

A produção de vinho na Beira Interior deve registar este ano uma quebra de 10 a 15% relativamente a 2019, disse hoje à agência Lusa o presidente da Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior (CVRBI).

  • Economia
  • Publicado: 2020-09-03
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Em comunicado enviado à agência Lusa, a UBI salienta que as orientações visam "promover as melhores condições de segurança de toda a comunidade académica no regresso às atividades letivas e estabelecer o modelo de funcionamento das aulas e avaliações ao longo do semestre, para minimizar prejuízos no processo de aprendizagem".

As diretrizes incluem a forma de utilização dos espaços comuns como as salas, laboratórios, cantinas e restantes zonas dos edifícios, além do regime de funcionamento das aulas, das alterações ao calendário escolar e dos períodos de exames.

Segundo a informação, estão definidos três sistemas para as aulas teóricas e teórico-práticas, designadamente um regime presencial (quando a dimensão da turma seja inferior à capacidade definida para a sala), um regime presencial híbrido (que prevê a divisão da turma em dois turnos, em que um acompanha a aula na sala e o outro através de transmissão síncrona ‘online’) e um regime presencial por grupos.

Este último implica a divisão da turma em grupos de estudantes, de acordo com a capacidade das salas escolhidas e, ressalva a UBI, sempre que possível, a aula decorre simultaneamente em diferentes salas de aula, preferencialmente contíguas.

Nas práticas laboratoriais, os alunos serão divididos em turnos, de acordo com as capacidades dos laboratórios.

"Os estudantes estrangeiros que aguardam emissão de visto, os estudantes com atestado médico que comprove a sua impossibilidade de assistir às aulas presenciais e os estudantes em quarentena por identificação de um caso positivo na turma ficarão durante esse período na modalidade de lecionação à distância", acrescenta.

Quanto aos horários, "as aulas são distribuídas de segunda a sexta, em horário alargado, e excecionalmente poderão decorrer ao sábado".

Está ainda previsto que a duração das aulas seja "reduzida em cerca de 15 minutos para arejamento e renovação do ar" e que, sempre que possível, as sessões decorram com as janelas abertas.

No que concerne ao calendário escolar, a universidade dirigida pelo reitor António Fidalgo definiu que as aulas do 1.º ano de licenciatura e mestrado integrado começam no dia 06 de outubro e terminam no dia 29 de janeiro de 2021.

Para os alunos do segundo ano e seguintes, as aulas têm início no dia 21 de setembro e terminam dia 15 de janeiro de 2021, com exceção dos mestrados integrados em Medicina e Ciências Farmacêuticas, que têm um calendário próprio.

"Para aumentar a oferta de espaços de ensino, foram criadas novas salas de grande capacidade e disponibilizados alguns anfiteatros para marcação de aulas. Ainda no âmbito da utilização de salas, a UBI tem definidas a lotação, modos de ocupação das mesas, bem como as regras de higienização", é referido.

A UBI também ressalva que no interior dos edifícios "será obrigatório o uso de máscaras e deve ser efetuada a desinfeção das mãos à entrada".

Lembrando que a distância de segurança deve ser sempre respeitada "dentro e fora" das instalações, é igualmente recomendado não haja circulação ou partilha de material de qualquer espécie, sendo que nos computadores partilhados cada utilizador deverá higienizar o equipamento após o seu uso.

As avaliações deverão ser presenciais, exceto nos casos em que os alunos estejam fora do país ou apresentem atestado médico.

PUB

PUB

PUB

PUB