Covid-19: Câmara da Covilhã lança medidas de apoio e descontos na água para quem perder rendimento

A Câmara da Covilhã aprovou ontem um conjunto de medidas de apoio para empresas e munícipes, entre as quais a suspensão do pagamento de estacionamento e a aplicação de descontos para quem perder rendimentos em virtude da pandemia covid-19.

  • Economia
  • Publicado: 2020-03-21
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco/Lusa

O pacote de medidas desta câmara do distrito de Castelo Branco foi hoje aprovado por unanimidade durante uma reunião privada do executivo, que decorreu através de videoconferência, como explicou o presidente do município, Vítor Pereira, numa declaração aos jornalistas, divulgada no final da sessão.

Segundo explicou, o pacote de medidas visa contribuir no combate à propagação da pandemia Covid-19 e também para "minimizar os constrangimentos" sentidos por famílias e empresas do concelho, estando entre elas a suspensão do pagamento da tarifa no estacionamento pago à superfície e nos siloautos, como forma de evitar o contacto com as máquinas de cobrança.

O despacho municipal também determina o alargamento em dez dias úteis do prazo de pagamento das faturas da água de março e abril, bem como a aplicação de um desconto de 50% no valor da fatura a todos os munícipes com carência económica comprovada e em virtude da pandemia.

O desconto poderá ir até ao limite máximo de dez euros por cada fatura e aplica-se a famílias que tenham tido uma redução de rendimentos pela necessidade de apoio à família e para quem tenha perdido rendimentos por situação de "lay-off".

O autarca explicou igualmente que as empresas com volume de negócios até dez milhões de euros também podem solicitar um pagamento da água através de mensalidades de três meses sem juros de mora ou de seis meses, com isenção de juros nas primeiras três mensalidades.

Já as empresas com um volume de negócios superior também podem beneficiar destas alterações, desde que tenham registado uma perda de receitas em 20%.

Vítor Pereira salientou ainda que estão a ser tomadas outras medidas e que a autarquia vai colocar no espaço do Centro Hospitalar Universitário Cova da Beira um contentor "com janelas e devidamente climatizado", para que aí possa ser montado um centro de triagem.

A aquisição de máscaras para os profissionais de saúde e centros de saúde, a sensibilização junto de hoteleiros para que se disponibilizem a acolher profissionais de saúde e profissionais de segurança que não queiram regressar a casa como medida de proteção familiar, foram outra das medidas apontadas.

O autarca covilhanense também indicou que está a ser criada uma linha de apoio psicológico para os munícipes e a ser criado um serviço de entrega de medicamentos e bens essenciais a idosos em isolamento ou pessoas em risco, sendo que este serviço deve funcionar em rede e envolve a articulação com PSP, GNR e juntas de freguesia.

Vítor Pereira também enumerou ainda um conjunto de ações que o município tem vindo a levar a cabo e entre as quais se conta a limpeza das principais artérias da cidade e a aquisição de ‘kits’ de proteção para trabalhadores, máscaras, desinfetantes, entre outros.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19,infetou mais de 250 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 10.400 morreram.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

O número de mortos no país subiu para seis.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira.

PUB

PUB

PUB

PUB