Ministra da Coesão Territorial lança primeira pedra em investimento empresarial em Idanha-a-Nova

As obras de construção do Alojamento Temporário e do Centro de Acolhimento Empresarial no âmbito do projeto Green Valley FoodLab, na Herdade do Couto da Várzea, já iniciaram e envolvem nesta fase um investimento de cerca de 700 mil euros.

  • Economia
  • Publicado: 2019-12-19
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

As obras de construção do Alojamento Temporário e do Centro de Acolhimento Empresarial no âmbito do projeto Green Valley FoodLab, na Herdade do Couto da Várzea, já iniciaram e envolvem nesta fase um investimento de cerca de 700 mil euros.

A cerimónia de lançamento da primeira pedra foi presidida pela Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, no dia 17 de dezembro, acompanhada da Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira, e do presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto.

O autarca explicou que estes investimentos da Câmara de Idanha-a-Nova são estruturantes para a criação de riqueza e emprego: “Com o projeto do Green Valley FoodLab, a nossa área de acolhimento empresarial de base rural, já criámos em Idanha mais de 300 empregos e só em postos de trabalho temporários são necessárias centenas de pessoas, por isso, queremos criar condições para apoiar as empresas e acolher os trabalhadores”.

O investimento vai criar 200 camas de alojamento temporário para acolhimento de trabalhadores das várias empresas instaladas no concelho.

A Ministra da Coesão Territorial expressou a sua satisfação com o que viu do projeto, durante o lançamento da primeira pedra de investimento no Green Valley Food Lab, uma área de acolhimento empresarial de 800 hectares que inclui as propriedades do Couto da Várzea, do Ribeiro do Freixo e das Lombas, bem como o Centro Logístico Agroalimentar do Ladoeiro.

“Precisamos de projetos destes em áreas com ligação aos territórios, neste caso a agricultura que é tão expressiva em Idanha, para depois traduzir esse investimento estratégico em geração de economia, conhecimento e desenvolvimento”, afirmou Ana Abrunhosa.

Na ocasião, Armindo Jacinto adiantou que “muitas empresas, áreas de formação, experimentação e investigação já estão sediadas no Green Valley Food Lab e, em breve, também aqui vai operar o Laboratório Colaborativo (CoLAB) Idanha Food Lab, que junta 14 entidades da academia e do meio empresarial e é gerido pela Food4Sustainability – Associação para a Inovação no Alimento Sustentável”.

O presidente da Câmara de Idanha-a-Nova também anunciou que “nos projetos instalados no Green Valley Food Lab, já em andamento, vamos continuar a captar vários milhões de euros e a promover a criação de muitos postos de trabalho diretos e indiretos, a fixação de talento e a transferência de conhecimento para as nossas empresas do setor agroalimentar, de produção agrícola e animal, fazendo jus ao nosso estatuto internacional de Bio-Região de Idanha-a-Nova”.

PUB

PUB

PUB

PUB