Instituto Politécnico da Guarda colabora com Idanha-a-Nova

Esta semana, o Município de Idanha-a-Nova esteve presente na sessão de abertura do ano letivo do Instituto Politécnico da Guarda, no âmbito da colaboração no Laboratório Colaborativo (CoLAB) I’Danha Food Lab.

  • Educação
  • Publicado: 2019-12-06
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Esta semana, o Município de Idanha-a-Nova esteve presente na sessão de abertura do ano letivo do Instituto Politécnico da Guarda, no âmbito da colaboração no Laboratório Colaborativo (CoLAB) I’Danha Food Lab.

Segundo informação a que o Diário Digital teve acesso, o CoLAB é um projeto que tem sede em Idanha-a-Nova e junta 14 parceiros (desde instituições académicas, a grandes empresas e a startups) em torno do desenvolvimento de técnicas avançadas de produção alimentar saudável e sustentável.

Aprovado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, e com um financiamento a cinco anos de oito milhões de euros, este laboratório colaborativo prevê a criação de emprego altamente qualificado e liga a academia ao tecido económico e social.

O presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, e o presidente do Politécnico da Guarda, Joaquim Brigas, acumulam também as funções de presidentes do Geopark Naturtejo e Geopark Estrela, respetivamente. Assim, os dois responsáveis aprofundaram os vários projetos comuns entre estes dois geoparques mundiais da UNESCO.

Em concreto, o Geopark Naturtejo, o Geopark Estrela e os dois outros geoparques de Portugal Continental (Arouca Geopark e Geopark Terras de Cavaleiros) assinaram um protocolo de cooperação para a realização do projeto “Geoparques de Portugal”, enquadrado numa candidatura ao Programa Valorizar, do Turismo de Portugal.

O objetivo desta parceria é implementar uma estratégia concertada de promoção e valorização dos Geoparques Mundiais da UNESCO de Portugal Continental, com vista ao reforço da sua notoriedade e capacidade de captar fluxos turísticos nacionais e internacionais.

Outro projeto de cooperação em candidatura é o Food 2030, no âmbito do programa comunitário Horizonte 2020. Este projeto pretende inovar nos processos da cadeia alimentar e envolve 10 geoparques e diversas universidades de países como Portugal, Itália, Noruega, Eslovénia, Croácia e Áustria.

PUB

PUB

PUB

PUB