Rodão presente no primeiro Encontro Nacional de Arte Pré-Histórica

O Município de Vila Velha de Ródão marcou presença no primeiro Encontro Nacional de Arte Pré-Histórica, que decorreu a 9 de outubro, no Museu do Côa. A iniciativa assinalou o Dia Europeu da Arte Rupestre e procurou dar a conhecer a diversidade do património pré-histórico nacional, juntando um conjunto de entidades e câmaras municipais que integram a recém-criada Rede Nacional de Arte Pré-Histórica.

  • Região
  • Publicado: 2019-10-13
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

O Município de Vila Velha de Ródão marcou presença no primeiro Encontro Nacional de Arte Pré-Histórica, que decorreu a 9 de outubro, no Museu do Côa. A iniciativa assinalou o Dia Europeu da Arte Rupestre e procurou dar a conhecer a diversidade do património pré-histórico nacional, juntando um conjunto de entidades e câmaras municipais que integram a recém-criada Rede Nacional de Arte Pré-Histórica.

Segundo informação a que o Diário Digital teve acesso, nesta primeira edição do encontro, os responsáveis pretenderam dar a conhecer alguns dos sítios mais emblemáticos de arte pré-histórica portuguesa, reforçando assim os esforços de aproximação institucional que têm vindo a ser desencadeados, seja na perspetiva científica do conhecimento ou na perspetiva da gestão dos sítios.

O momento serviu também para a constituição formal da Rede Nacional de Arte Pré-Histórica, uma entidade criada com o intuito de educar para o conhecimento e para a fruição de conteúdos culturais e que reúne um conjunto alargado de entidades representativas do território nacional, com responsabilidades na gestão do património e na investigação arqueológica.

Esta rede integra mais de 30 entidades nacionais, onde se incluem câmaras municipais – como é o caso de Vila Velha de Ródão, Fundão ou Vila Nova de Foz Côa –, a Rede Nacional de Arte Pré-Histórica, a Direção Regional de Cultura do Alentejo e diversas faculdades e institutos.

O encontro que decorreu em Foz Côa juntou precisamente representantes destas entidades e contou a presença do arquiteto Mário Benjamin, responsável pelo projeto do Centro de Interpretação de Arte Rupestre do Vale do Tejo, em Vila Velha de Ródão, que apresentou uma exposição sobre a importância deste complexo de arte rupestre.

Para a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, Ana Luísa Marques, a criação desta rede que agrega municípios e outras entidades representa uma mais-valia competitiva para estes territórios. “Para além de ajudar a promover e valorizar os locais onde existe arte pré-histórica, esta Rede Nacional facilita a comunicação e a partilha de experiências, permitindo estabelecer novas dinâmicas de cooperação e promoção, a nível nacional e internacional”.

PUB

PUB

PUB

PUB