Empresários da Beira Baixa esperam que anúncio do IC31 não seja só “cosmética”

A Associação Empresarial da Beira Baixa (AEBB) afirma que a inclusão do IC31 no Programa Nacional de Investimentos (PNI) é positivo para a região e para o país, mas disse esperar que não seja só "mera cosmética".

  • Economia
  • Publicado: 2019-01-12
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco/Lusa

A Associação Empresarial da Beira Baixa (AEBB) afirma que a inclusão do IC31 no Programa Nacional de Investimentos (PNI) é positivo para a região e para o país, mas disse esperar que não seja só "mera cosmética".

"Acho que é positivo para a região, ou pelo menos, expectamos que o seja. É verdade que [este investimento] tem aparecido nas campanhas eleitorais anteriores. Eu espero que não seja só mera cosmética para facilitar a escolha dos portugueses que se vão pronunciar [em eleições] durante este ano. Espero que não seja só isso", afirmou à agência Lusa o presidente da AEBB, José Gameiro.

Este responsável, apesar de achar a construção do IC31 "importantíssima" para a região e para o país, realça que não chega apenas fazer a ligação viária e defende a criação de outras dinâmicas.

"Já que nós estamos longe do litoral e dos grandes centros nacionais e que parece que há um conjunto de politicas que podiam apontar mais para o interior e que não apontam tanto quanto nós queríamos, pelo menos que nos abram horizontes para o mercado ibérico", sustenta.

José Gameiro entende que é preciso alavancar esta infraestrutura rodoviária com um conjunto de dinâmicas empresariais e de investimentos ao nível do território.

"As empresas, de uma forma geral, poderão ganhar muito, umas mais do que outras, mas sobretudo o turismo pode ganhar bastante, pode ser o setor que mais ganhe com esta ligação", frisou.

PUB

PUB

PUB

PUB