Portugal promove produtos inovadores na Semana do Design de Nova Iorque

Portugal estará representado na Semana do Design de Nova Iorque de 2011, a partir de sábado, por cerca de 30 empresas e dois pavilhões na feira de mobiliário contemporâneo, que procuram promover produtos portugueses inovadores.

  • Economia
  • Publicado: 2011-05-13 08:05
  • Autor: Diario Digital Castelo Branco/Lusa

Portugal estará representado na Semana do Design de Nova Iorque de 2011, a partir de sábado, por cerca de 30 empresas e dois pavilhões na feira de mobiliário contemporâneo, que procuram promover produtos portugueses inovadores.

Rui Boavista Marques, delegado do Aicep para a América do Norte, afirma que, mesmo sem um grande evento como foi em 2010 a mostra de produtos portugueses nas lojas do Museum of Modern Art de Nova Iorque, a boa publicidade continua pois alguns destes mantêm-se nos catálogos do MoMA.

“Será a segunda edição deste esforço de design, que queremos que seja contínuo”, disse à Lusa, em Nova Iorque, o responsável do Aicep, que lançou em março a nova campanha de promoção “Portugal – Innovate With Us”.

Ao longo da semana será distribuído o “Portugal Design Guide”, um itinerário dos eventos envolvendo marcas portuguesas de mobiliário, decoração e casa, e apresentando algumas destas, nomeadamente as trazidas pela Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário (AIMMP) e pela Portugal Brands.

Entre as primeiras está a Fertini, Greed, Induflex, Mambo, SAAL – Sentir a Alma Lusa e Sachi, enquanto a Portugal Brands traz a Boca do Lobo, Delightful, Koket, Myface, Sotrue, Corque e Real Cork Floors, além da fabricante de pratas Alcino.

O catálogo inclui ainda marcas que fazem parte das lojas do MoMA e de outros, caso da Matcerâmica, Pelcor, Porcel e outras distribuídas nos Estados Unidos como a Ecostasy, TemaHome e Vista Alegre Atlantis.

O delegado do Aicep sublinha que o número de participantes na feira de mobiliário ICFF disparou em relação ao ano passado, e que as exportações dos setores com maior “componente de design” para os Estados Unidos tem vindo a aumentar,

No ano passado, Portugal vendeu mais 31,7 por cento para este mercado, que é atualmente o oito maior, mas este ano as exportações recuam ligeiramente, segundo dados provisórios do INE.

A jovem empresa Corque, dedicada aos produtos de design à base de cortiça, irá promover uma série de eventos a partir de hoje, incluindo conferências e cocktail na sexta feira, uma “Open House” no domingo e também visitas guiadas à sua exposição “Cork Design- Inovadores no Século XXI”.

Outros encontros de “networking” estão previstos para os pavilhões da Portugal Brands, TemaHome e AIMMP.

O principal evento, com a participação do embaixador de Portugal em Washington, Nuno Brito, terá lugar no dia 17, segunda feira, no pavilhão da Corque.

Amândio Pereira, da empresa de consultoria e marcas Portugal Brands afirma que, devido à situação difícil no país, muitas empresas “sonham” com o mercado norte-americano, mas que “não é fácil” entrar, até porque a concorrência é muita.

“Para os americanos há a barreira da língua, do transporte [para importação]. E não têm necessidade, aqui há tudo. O tratamento ao cliente, o serviço é muito importante, e as empresas não estão preparadas muitas vezes, estão habituadas a vender quase produção”, disse à Lusa.

“O 'boom' da internacionalização de que o Estado fala era a única saída possível [para as empresas, face à crise]. O Estado não estar a comprar ajuda a isso. E já se percebeu ou está-se a aperceber devagarinho, que tem de ser com a marca, se não [as empresas] são só mais uns fornecedores”, adianta Pereira.

PUB

PUB

PUB

PUB