Nove empresas portuguesas integram top 30 das mais reputadas

Nove empresas portuguesas, de um conjunto de trinta com melhor reputação em Portugal, estão a tomar as decisões mais acertadas em termos de economia reputacional, segundo um estudo divulgado hoje que avalia 160 empresas a operar no país.

  • Economia
  • Publicado: 2011-04-13 18:08
  • Autor: Diario Digital Castelo Branco/Lusa
Nove empresas portuguesas, de um conjunto de trinta com melhor reputação em Portugal, estão a tomar as decisões mais acertadas em termos de economia reputacional, segundo um estudo divulgado hoje que avalia 160 empresas a operar no país.

Sumol Compal, Grupo Delta, Pingo Doce, Bial, Jerónimo Martins, TAP, Delta Q, Hospital CUF e Continente são as marcas nacionais que apresentam valores médios de reputação superiores a 75 pontos, o que significa, de acordo com o estudo, que estas empresas registam índices de reputação “forte”.

Segundo o estudo o RepTrak™Pulse 2011, estudo realizado pelo Reputation Institute (RI), a companhia que alcançou uma pontuação mais elevada em Portugal é a Google com um índice RepTrak™Pulse de 88,66 seguindo-se a Nestlé com 86,02 e a Sumol Compal com 85,71 pontos.

O RepTrak™Pulse é um estudo anual que avalia o nível de confiança, estima, admiração e respeito da opinião pública face às empresas e marcas, realizado desde 2005 pelo RI.

Este ano foram avaliadas cerca de 2.500 empresas em 41 países, junto de 90 mil consumidores em todo o mundo.

Em Portugal foram analisadas 160 empresas nacionais e internacionais a operar em Portugal de 18 sectores de atividade económica.

No que diz respeito às empresas que integram o PSI 20, destaca-se a Jerónimo Martins com um índice de reputação “forte”, com 78,23 pontos, marca que o ano passado ocupou a segunda posição.

A Sonaecom e a Cimpor, ocupam a segunda e terceira posição, com 74,36 e 74,28 pontos respetivamente.

Já no que respeita aos setores da economia nacional melhor reputados e que apresentam índices médios superiores a 70 pontos, a que corresponde uma reputação ”forte”, o estudo refere que são o “Eléctrico e Electrónico”, “Grande Consumo”, “Automóvel”, “Bebidas”, “Computadores”, “Farmacêutico”, “Produtos Industriais” e “Retalho”.

PUB

PUB

PUB

PUB