Portugueses satisfeitos com a ASAE - ministro da Economia

O ministro da Economia disse em Castelo Branco  que 85 por cento dos portugueses estão satisfeitos com o desempenho da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica .

  • Região
  • Publicado: 2011-02-02 00:03
  • Por: Diario Digital Castelo Branco/Lusa
O ministro da Economia disse em Castelo Branco que 85 por cento dos portugueses estão satisfeitos com o desempenho da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica.

Vieira da Silva falava durante a inauguração do Centro de Apoio Logístico da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), em Castelo Branco. “A ASAE tem tido um papel decisivo junto dos consumidores e dos agentes económicos, revelando-se como um instrumento de reforço da cidadania em Portugal”, disse.

O ministro da Economia recordou que desde que foi criada, há cinco anos, “a ASAE respondeu com eficácia a 350.000 reclamações e a 87.000 denúncias”.No entender de Vieira da Silva, a ASAE é “um instrumento poderoso na economia portuguesa, na defesa do direito dos consumidores e da Lei da Concorrência”.

As instalações inauguradas em Castelo Branco incluem espaços para formação, um museu, um armazém e uma área de serviços.O investimento de dois milhões de euros foi feito pela câmara albicastrense. Vieira da Silva destacou essa parceria. “Castelo Branco tem tido a capacidade de atrair serviços, emprego e novas qualificações”, disse. Para o presidente da Câmara Municipal, Joaquim Morão, “Castelo Branco tem uma estratégia clara que passa pela requalificação urbanística e por criar condições para que se criem serviços e investimentos”

O autarca considera que só assim é possível gerar novos empregos. “Nos últimos cinco anos fez-se uma forte aposta nesse setor e criaram-se centenas de postos de trabalho”, disse, dando como exemplos os centros de serviços nacionais da PT Contact, Réditus e da Segurança Social.

A ASAE é a autoridade administrativa nacional especializada no âmbito da segurança alimentar e da fiscalização económica.

É responsável pela avaliação e comunicação dos riscos na cadeia alimentar, bem como pela disciplina do exercício das atividades económicas nos sectores alimentar e não alimentar, mediante a fiscalização e prevenção do cumprimento da legislação reguladora das mesmas.

PUB

PUB

PUB

PUB