Penamacor: Presidente, a que preço?

Quanto custa eleger um presidente? Esta é a pergunta que a força política que apoiou a candidatura de Domingos Torrão quer saber. As contas da campanha eleitoral continuam por se saber e o PS de Penamacor ameaça levar o caso ao Ministério Público.

  • Região
  • Publicado: 2011-02-01 22:11
  • Por: Jaime Pires

Quanto custa eleger um presidente? Esta é a pergunta que a força política que apoiou a candidatura de Domingos Torrão quer saber. As contas da campanha eleitoral continuam por se saber e o PS de Penamacor ameaça levar o caso ao Ministério Público.

Ano e meio depois de ter sido reeleito presidente da Câmara de Penamacor a candidatura de Domingos Torrão ainda não apresentou contas da campanha eleitoral ao Partido Socialista, a força partidária que apoiou a candidatura. A concelhia do PS de Penamacor já por diversas vezes solicitou ao mandatário financeiro o relatório de contas que determinam “o deve e haver” de quanto custa eleger um presidente. O pedido da força partidária foi sempre negado pelo mandatário financeiro o que levou a que a comissão política concelhia informasse as estruturas nacionais do partido porque entende que tem o direito de conhecer as contas da campanha que envolveu o candidato do PS.

No final do mês de Janeiro a Comissão Politica Concelhia decidiu por unanimidade enviar uma carta registada ao mandatário financeiro das autárquicas de 2009 a solicitar apresentação das contas da campanha e caso não o faça no prazo que lhe foi dado, o processo será remetido para o Ministério Público.

Em causa, diz a concelhia do PS de Penamacor podem estar “ilegalidades” que é precisar clarificar numa campanha onde o partido socialista apresentou candidatos a todas as freguesias do concelho raiano. Domingos Torrão foi o cabeça de lista da candidatura seguido de António Cabanas, Ilídia Cruchinho e Nuno Lucas, tendo o PS proposto Jorge Seguro como líder da lista à Assembleia Municipal.

As contas da campanha continuam em segredo e nem a força partidária que apoiou Domingos Torrão sabe quanto custou eleger o presidente, diz apenas que em causa está uma cifra elevada que não quer quantificar. As eleições autárquicas aconteceram em 2009 onde Domingos Torrão apresentou-se ao eleitorado com a sigla do PS com o slogan: “Com o Presidente Vamos em frente”.

Este caso que pode culminar em tribunal pode vir agitar a relação entre o actual executivo e o partido que o apoiou. Para já nos corredores da política ainda não se fala em divórcio mas o certo é que a relação já viveu melhores dias.

Diário Digital Castelo Branco (DDCB) sabe que na última reunião partidária foram escolhidos os nomes que integram o secretariado que tem como coordenador Porfírio Saraiva e actual presidente da concelhia socialista que conta ainda com Sandra Vicente, Francisco Ribeiro, Manuel Joaquim Robalo, Guida Leal, Magueijo e Joaquim Sá. Nesta reunião à porta fechada ficou conhecido o nome avançado pela actual concelhia que melhor reúne consenso para ser candidato às próximas eleições autárquicas.

DDCB não o vai tornar público até porque ainda antes das eleições autárquicas haverá eleições em todas as concelhias e caberá ao próximo elenco tomar a decisão final do nome apoiar nas próximas autárquicas.

Em Penamacor já começam a perfilar vários nomes que se mostram disponíveis para o combate político, alguns filiados no PS outros independentes mas em nenhum caso sabem se reúnem o apoio partidário do Partido Socialista.

PUB

PUB

PUB

PUB