Bombeiros de Castelo Branco integram dispositivo de protecção civil para visita de Bento XVI

Cerca de 450 pessoas integram o dispositivo de proteção civil e socorro para a visita do papa Bento XVI a Fátima, anunciou hoje o comandante distrital de operações de socorro de Santarém.

Os 450 elementos integram 80 entidades distintas, “desde a totalidade dos corpos de bombeiros do distrito de Santarém, que irão ser apoiados ainda pelos bombeiros do distrito de Leiria, Castelo Branco, Lisboa e Portalegre”, disse Joaquim Chambel.

 

  • Região
  • Publicado: 2010-05-03 20:56
  • Por: Diario Digital Castelo Branco/Lusa
Cerca de 450 pessoas integram o dispositivo de proteção civil e socorro para a visita do papa Bento XVI a Fátima, anunciou hoje o comandante distrital de operações de socorro de Santarém.

Os 450 elementos integram 80 entidades distintas, “desde a totalidade dos corpos de bombeiros do distrito de Santarém, que irão ser apoiados ainda pelos bombeiros do distrito de Leiria, Castelo Branco, Lisboa e Portalegre”, disse Joaquim Chambel.

Neste grupo de entidades estão ainda a Força Especial de Bombeiros, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a Cruz Vermelha Portuguesa, o Corpo Nacional de Escutas, a organização não governamental Paramédicos de Catástrofe Internacional e o Agrupamento dos Centros de Saúde do Médio Tejo.

Aos jornalistas, após a última reunião de preparação da visita do papa ao Santuário de Fátima, o responsável adiantou que o dispositivo entra em funcionamento às 17.00 do dia 11 de maio, terminando cerca das 12:00 de dia 14, ressalvando que a desmobilização depende da situação que se viver em Fátima “relativamente ao número de pessoas e necessidades”.

“O dispositivo está completo, está estruturado, o plano de operações já foi difundido, estamos preparados neste momento para iniciar a operação no dia 11”, afirmou o comandante distrital, acrescentando que nesta contabilidade não estão os meios de diversas entidades, como a recolha do lixo, o abastecimento de água ou eletricidade e as telecomunicações, entre outras.

Joaquim Chambel acrescentou que o dispositivo vai ter seis postos de socorro, um dos quais o do Santuário de Fátima, e mais dois postos médicos avançados, estes do INEM.

“Todos os postos de socorro nesta operação vão estar guarnecidos e ser dirigidos por médicos”, afiançou, explicando que qualquer evacuação para fora de Fátima – que pode ser por via aérea - para os vários hospitais da região será feita de acordo com as respetivas valências e com orientação dos médicos do INEM.

Joaquim Chambel disse acreditar que estes “serão os locais de receção da esmagadora maioria da emergência em Fátima”, frisando que esta medida pretende, caso não haja “necessidade de uma evacuação direta para os hospitais, que todo o socorro seja encaminhado para estes postos médicos”.

O comandante distrital da Proteção Civil adiantou que nesta visita papal vai estar também assegurado socorro através de motos e de “segway” (veículo elétrico para transporte pessoal), conduzidos por socorristas, justificando a sua existência devido à dificuldade de circulação de viaturas.

Estes meios pretendem “dar cobertura aos locais onde há mais tráfego de pessoas, onde a mobilidade é mais complexa, inclusive durante os períodos de entrada e saída de Sua Santidade em zonas que estão interditas ao trânsito”, referiu.

Confrontado sobre as diferenças desta operação comparativamente à terceira visita ao Santuário de Fátima de João Paulo II, na qual também era responsável distrital, Joaquim Chambel declarou: “A grande diferença entre esta operação e a de 2000 tem a ver com o aumento tremendo do nível de exigência e dos padrões de qualidade com que se pretende fazer a operação”.

PUB

PUB

PUB

PUB