Castelo Branco: Museu Tavares Proença Junior vai sair da rede nacional dos Museus

O Ministério da Cultura anunciou hoje que está em conversações com a câmara municipal de Castelo Branco para a saída do museu integrado na rede nacional, no âmbito do plano estratégico em curso.

O anúncio foi feito na Assembleia da República, pelo secretário de Estado da Cultura, Elísio Summavielle, numa audição da Comissão Parlamentar de Ética, Sociedade e Cultura, onde esteve presente também a ministra Gabriela Canavilhas.

  • Região
  • Publicado: 2010-04-14 20:46
  • Autor: Diario Digital Castelo Branco/Lusa
O Ministério da Cultura anunciou hoje que está em conversações com a câmara municipal de Castelo Branco para a saída do museu integrado na rede nacional, no âmbito do plano estratégico em curso.

O anúncio foi feito na Assembleia da República, pelo secretário de Estado da Cultura, Elísio Summavielle, numa audição da Comissão Parlamentar de Ética, Sociedade e Cultura, onde esteve presente também a ministra Gabriela Canavilhas.

Em janeiro, quando foi tornado público o Planeamento Estratégico do Instituto dos Museus e da Conservação  inserido no plano "Museus para o Séc. XXI", o Ministério da Cultura anunciara que tinha a intenção de passar para a tutela municipal alguns museus da rede nacional que tivessem características locais.

O Museu da Cerâmica, nas Caldas da Rainha, foi o primeiro com que o Ministério da Cultura disse na altura estar a desenvolver conversações para sair da rede de uma forma faseada, e assente num contrato-programa de apoio.

Hoje, no Parlamento, o secretário de Estado referiu que estão a decorrer negociações no mesmo sentido com o município de Castelo Branco sobre o Museu Francisco Tavares Proença Júnior, e com a Nazaré, sobre o Museu Dr. Joaquim Manso.

O museu de Castelo Branco que este ano comemora o 1º centenário,  alberga uma coleção arqueológica, arte antiga do Paço Episcopal e uma coleção de colchas com o bordado de Castelo Branco.

O Museu da Nazaré possui um acervo de etnografia marítima, com embarcações e apetrechos de pesca, pintura, escultura e fotografia.

Elísio Summavielle sublinhou que a saída dos museus da rede nacional "não significa um abandono" daquelas entidades, e que "os contratos-programa que estão a ser delineados têm como objetivo a valorização" dos projetos.

"A transferência será feita de forma faseada", apontou o responsável.

PUB

PUB

PUB

PUB