Idanha-a-Nova: Atleta septuagenário revela percurso desportivo

Natural e residente em Idanha-a-Nova, Francisco Farropas, é três vezes Campeão Nacional de Estrada sénior. Aos 78 anos, continua a correr por Idanha e pelo Club União Idanhense (CUI). É uma inspiração para os atletas mais novos e um orgulho para todos os idanhenses.

  • Desporto
  • Publicado: 2024-06-02 16:10
  • Por: Diário Digital Castelo Branco

Nap ágina de Facebook Idanha-a-Sorrir, Francisco Farropas declara que “Tinha 37 anos quando comecei a correr. Trabalhava como Bombeiro Naval na Lisnave, na altura das maiores empresas do país. Antes disso, fui trabalhador rural em Idanha, fiz a tropa e estive no Ultramar, e trabalhei 5 anos como Sapador Bombeiro, em Lisboa, quando regressei a Portugal. Mas o salário era muito baixo. Vivíamos num quarto… Quando a minha mulher engravidou, foi preciso encontrar outra solução.

Concorri, então, à Lisnave. Foi em janeiro de 1974, pouco antes do 25 de Abril. A Lisnave fica situada na zona de Cacilhas, em Almada, e eu morava no Seixal, dois concelhos com uma grande dinâmica no atletismo. Na empresa havia muita malta que corria e eu também quis experimentar.

Quando comecei a praticar, havia um problema: eu fumava. Não fazia sentido. Para correr teria de deixar de fumar. Tomei a decisão de deixar os cigarros durante umas férias de verão em Idanha. E nunca mais fumei!

Nessa altura havia a categoria de Pré-Veteranos, dos 37 aos 40 anos. Na primeira prova em que participei fiquei atrás da malta que treinava comigo. Mas pensei assim: daqui a amanhã, eu logo vos ultrapasso.

Fiquei entusiasmado! Saía do trabalho e ia correr. Treinava muito, incluindo com atletas como a Carla Sacramento, o Alberto Chaíça ou o Nelson Cruz. Em Lisboa, eu nunca fui um atleta federado. No entanto, corri todo o tipo de prova. E assim foi sendo a minha vida até me reformar.

Em 2010, voltei para Idanha, numa altura em que o Club União Idanhense começou a ter a modalidade de atletismo. Então, decidiram federar os atletas, inclusive eu.

Em 2019, fui pela primeira vez aos Campeonatos Nacionais de Estrada, no Jamor. Logo aí, fiquei em 3º lugar no meu escalão (Veteranos M70). Em 2020, a prova foi novamente no Jamor e, dessa vez, fui Campeão Nacional! No ano seguinte, o campeonato realizou-se em Felgueiras e fui, pela segunda vez, Campeão Nacional (M75). Em 2022 e em 2023, fiquei em 2º lugar. Ainda em 2023, participei também no Campeonato Nacional de Corta-Mato Longo e alcancei o 2º lugar. Este ano voltei a ser Campeão Nacional de Estrada (M75), em Tomar.

Tenho muito orgulho em representar Idanha e o Club União Idanhense! O maior desafio é manter os jovens no atletismo. Tento fazer a minha parte, estou sempre disponível para colaborar. Quanto a mim, ainda me sinto bem. Mas tenho de ir com calma, que já são quase 80 anos… Vamos ver!” Conclui o atleta septuagenário.

 

PUB

PUB

PUB

PUB