Vila Velha de Ródão recebe final do Campeonato do Mundo de F2

O Grande Prémio de Vila Velha de Ródão volta a disputar-se, entre os dias 22 e 24 deste mês, no espelho de água do Tejo, naquela que é a quarta e última prova pontuável para o Campeonato do Mundo de F2 de Motonáutica. 

  • Desporto
  • Publicado: 2023-09-19 16:41
  • Por: Diário Digital Castelo Branco

O evento, que trará ao concelho os principais pilotos desta modalidade, é organizado pela Federação Portuguesa de Motonáutica e pelo Município de Vila Velha de Ródão, sob a égide da U.I.M. – União Internacional de Motonáutica.

Após a passagem por Klaipèda (Lituânia), San Nazarro (Itália) e Peso da Régua (Portugal), os 15 pilotos em competição preparam-se para disputar o segundo e o terceiro lugar do pódio, depois do piloto dos Emiratos Árabes Unidos, Rashed Al Qemzi, se ter sagrado campeão na prova de Peso da Régua.

Durante a apresentação da prova à imprensa, que teve lugar ao final da tarde de 18 de Setembro, numa recém inaugurada unidade hoteleira do concelho, o presidente da Federação Portuguesa de Motonáutica, Paulo Ferreira, destacou que as excelentes condições do plano de água do Tejo para a prática desta modalidade fazem com que Vila Velha de Ródão seja um local a que os pilotos desejam regressar todos os anos, o que, aliado à hospitalidade com que são recebidos, levou este dirigente a não hesitar em afirmar que “Vila Velha de Ródão é a capital da motonáutica”.

"O apoio que a Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão tem dado na organização e criação das condições para receber este evento tem sido muito importante. Quando estávamos em pleno COVID e todos os países tinham receio de não ter capacidade organizativa para realizar as provas, a Câmara Municipal, em parceria com a Federação, decidiu apostar em fazer a final do Campeonato do Mundo com duas provas. Por esse motivo a U.I.M., que não é uma casa ingrata, respeita que enquanto o presidente da Câmara Municipal quiser, a final será sempre em Vila Velha de Ródão”, esclareceu Paulo Ferreira.

No mesmo sentido, Luís Pereira, presidente Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, considerou que “a motonáutica é já uma imagem de marca e uma referência para Vila Velha de Ródão”, cujo cenário apresenta “condições únicas para a sua realização”, e destacou os esforços que “têm sido feitos na atração de investimento privado, na área do turismo e não só, e nos investimentos realizados na ligação ao rio e na melhoria das condições para os participantes desta prova”.

Sobre o retorno que a motonáutica traz para o concelho, o autarca destacou que, para além de esgotar a capacidade hoteleira da região durante a semana em que decorre, “este é um evento que envolve uma dinâmica que se estende para além da prova, já que há pilotos que vêm para aqui treinar ao longo do ano e já mostraram, inclusive, interesse em estabelecer aqui uma escola de pilotagem, o que representa um retorno indireto importante para aqueles que vivem do turismo no concelho”, concluiu.

A última etapa do Campeonato do Mundo de F2 de Motonáutica arranca na sexta-feira, 22 de setembro, com a receção aos pilotos para as verificações administrativas e técnicas, e prolonga-se no dia seguinte, com os treinos livres ao final da manhã e os treinos de qualificação, a partir das 15h, no cais de Ródão.  No domingo, 24 de setembro, a partir das 15h30, decorre o Grande Prémio de Vila Velha de Ródão e a entrega de prémios, depois dos treinos de aquecimento e da corrida de repescagem terem lugar durante a manhã.

PUB

PUB

PUB

PUB