Castelo Branco: ADAL promove II Semana da Multiculturalidade

Associação de Desenvolvimento Amato Lusitano (ADAL) iniciou esta 2ªfeira,dia 25 de Outubro, a II Semana da Multiculturalidade que decorrerá até à próxima 6ªfeira, dia 29.

  • Região
  • Publicado: 2021-10-25 18:22
  • Autor: Ivo Vladimiro

A abertura do evento decorreu no Auditório da Biblioteca Municipal de Castelo Branco e contou com a presença por videoconferência com a Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, com a representante da Câmara Municipal de Castelo Branco, a vereadora Patrícia Coelho, com a diretora do Departamento de Relações Internacionais, Política Migratória e Captação de Migrantes do Alto Comissariado para as Migrações (ACM), Cristina Casas, com a diretora do Observatório para as Migrações, Catarina Reis de Oliveira e com o presidente ADAL, Arnaldo Braz.

Foi abordado o papel que ADAL assume no âmbito destas matérias e apresentados os últimos dados estatísticos relativamente ao movimento migratório a nível nacional. Durante as intervenções das personalidades presentes debateu-se a temática "A integração Profissional e Social de Migrantes", onde cada interveniente abordou o trabalho executado em prol de uma plena integração dos migrantes no território.

Patrícia Coelho destacou a necessidade de acolher quem escolhe viver em Castelo Branco, “estamos no séc. XXI e é necessário igualdade, multiculturalidade e abrir a mente”, afirmou a vereadora.
Ao felicitar a ADAL pelo trabalho que tem desenvolvido junto dos migrantes Secretária de Estado afirmou que o objetivo do governo é incluir todos nas oportunidades, abranger as medidas de habitação de migrantes e refugiados, ao remover os obstáculos de integração.
“A população portuguesa sem os emigrantes seria muito mais envelhecida, desmistificar o mito que os imigrantes vêm para Portugal por subsídios .
"Os migrantes vêm para trabalhar", declarou Cláudia Pereira.
Existem três mil refugiados em Portugal e em Castelo Branco vivem quase dois mil migrantes de 45 nacionalidades.
Cristina Casas do ACM destaca que a formação de migrantes é importante com uma articulação com as associações e refere a importância de se fazer conhecer o serviço que muitas vezes não é conhecido e as suas áreas de intervenção junto dos migrantes. O acolhimento e integração de refugiados é uma área muito desafiante, segundo o ACM foi criado um núcleo especial para os refugiados com uma rede de 36 centros e Portugal subiu para o 8º lugar como país que recebe refugiados. 

Durante o desenrolar da II Semana da Multiculturalidade haverá várias atividades, nomeadamente, exposição de fotografia, intitulada "Rastos", espetáculo/workshop de Danças Tradicionais Africanas, no Cine-Teatro Avenida e uma rota gastronómica Multicultural onde 22 restaurantes se associaram à iniciativa.

Outras iniciativas que podem ser consultadas na página da Associação de Desenvolvimento Amato Lusitano http://www.amatolusitano-ad.pt/

PUB

PUB

PUB

PUB