Castelo Branco: 56‰ das empresas associadas à ACICB conseguiram pagar renda - Inquérito

Com o objetivo de perceber qual o impacto e quais os efeitos que a pandemia estão a ter nas empresas sedeadas na área de abrangência da Associação Comercial e Empresarial da Beira Baixa (ACICB), esta Associação levou a efeito um inquérito às empresas.

  • Economia
  • Publicado: 2021-04-06
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

A pandemia e os confinamentos decretados pelo Governo para minimização do contágio têm tido efeitos muito penalizadores e este inquérito veio demonstrar que, das 400 empresas que responderam, quase 90% afirmaram ter tido redução na faturação. 

Quantificando a percentagem de redução na faturação, 119 empresas declararam ter tido uma quebra superior a 60%. 

As atividades mais representadas na resposta ao inquérito foram os serviços de cabeleireiro e estética (17,3%), seguidos de cafés (14%) e restaurantes (11,8%). 

Ainda que a grande maioria das empresas (90,5%) não tenham tido necessidade despedir trabalhadores, 31 empresas afirmaram ter despedido 2 ou mais funcionários.

Ainda no campo do emprego, 31,3% das empresas indicaram ter sentido dificuldade no pagamento dos salários.

No que diz respeito a impostos e outras obrigações derivadas da vida empresarial, 83,8% dos inquiridos revelam ter conseguido fazer face a todas as despesas. 

Relativamente a créditos: 21% das empresas que os contraíram indicam não ter conseguido pagar atempadamente os seus créditos.

Situação semelhante pôde verificar-se relativamente ao pagamento das rendas onde 24,5% responderam não ter conseguido efetuar o pagamento.

Uma grande parte dos inquiridos (73,8%) revelou ter recorrido aos apoios disponibilizados pelo Governo e por outras entidades e 90,3% considera que estes não são suficientes para fazer face à atual situação em que se encontram. 

Olhando para o futuro a curto prazo 39,8% das empresas confessaram ter liquidez para apenas mais um mês e 85,5% indicaram que não irão fazer novos investimentos.

Trata-se efetivamente de um cenário muito preocupante, pois a adesão muito relevante a este inquérito, atribui-lhe um significado muito expressivo no que respeita à situação em que os nossos empresários se encontram.

Entre muitas outras conclusões que podemos retirar deste inquérito, podemos indicar duas que nos parecem muito relevantes: A primeira é que as consequências desta pandemia são catastróficas no que ao pequeno comércio diz respeito e a segunda é que os apoios não têm sido suficientes.

Os tempos que se avizinham serão muito difíceis e se não existir um apoio forte, bem orientado e rápido ao comércio, estimamos que mais de 20% do tecido empresarial da nossa região não consiga sobreviver a esta crise.

PUB

PUB

PUB

PUB