Exames/Básico: Resultados são "muito preocupantes" - Confederação Independente de Pais

A Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE) disse hoje que os “maus” resultados nos exames de Matemática e de Português são “muito preocupantes” e defendeu medidas urgentes por parte do Ministério da Educação.

  • Educação
  • Publicado: 2011-07-14 10:33
  • Autor: Diario Digital Castelo Branco/Lusa

A Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE) disse hoje que os “maus” resultados nos exames de Matemática e de Português são “muito preocupantes” e defendeu medidas urgentes por parte do Ministério da Educação.

“É preocupante. Há muito tempo que alertamos para a necessidade de os currículos e os programas serem avaliados e a partir daí perceber o que é necessário fazer”, adiantou à agência Lusa a presidente da CNIPE.

A média do exame de Matemática do Ensino Básico baixou este ano de 50 para 43 e a de Português cinco pontos percentuais para 51, segundo dados do Ministério da Educação.

“Gostaria de salientar que quando analisamos os resultados dos exames estamos a analisar o resultado puro, ou seja, o mero conhecimento científico. Durante o ensino básico as notas dos alunos são divididas em conhecimentos científicos e nas chamadas valências sociais, a assiduidade e o comportamento, e tudo isso tem um peso na nota do aluno que pode ir até 20 por cento da nota”, explicou a presidente da CNIPE

De acordo com Maria José Viseu, os alunos, quando chegam aos exames nacionais são confrontados com conhecimentos meramente científicos e, por isso, “as notas descem”.

Para tentar resolver a situação, Maria José Viseu defende que devem ser feitos estudos para analisar o problema e criada uma comissão que acompanhe os programas e os próprios exames nacionais.

No entender da presidente da CNIPE, os problemas não vão ser “resolvidos a curto prazo” uma vez que o Governo tomou posse há pouco tempo, o novo ministro da Educação, Nuno Crato, ainda está a inteirar-se dos dossiers e o início do ano letivo está a dois meses de começar.

PUB

PUB

PUB

PUB