Castelo Branco: 800 figurantes da escola Faria de Vasconcelos recriam chegada do comboio à cidade em 1891

Cerca de 800 figurantes participaram hoje em Castelo Branco na recriação da inauguração, há 120 anos, da Linha da Beira Baixa pelos reis D. Carlos e D. Amélia, numa iniciativa do Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos.

  • Educação
  • Publicado: 2011-06-04 18:10
  • Por: Diario Digital Castelo Branco/Lusa

Cerca de 800 figurantes participaram hoje em Castelo Branco na recriação da inauguração, há 120 anos, da Linha da Beira Baixa pelos reis D. Carlos e D. Amélia, numa iniciativa do Agrupamento de Escolas Faria de Vasconcelos.

A organização reuniu cerca de 800 figurantes entre alunos, professores, funcionários da escola e pais, que deram corpo a um acontecimento ocorrido há quase 120 anos.

A 5 de setembro de 1891 os monarcas viajaram entre Sintra e Castelo Branco, um percurso que demorou sete horas, de acordo com o programa da época. À chegada encontraram uma cidade rural, que aguardava pelo desenvolvimento.

“Ainda havia muito pouco desenvolvimento industrial. Esperava-se com ansiedade que houvesse a abertura da cidade a outros caminhos e foi um acontecimento muitíssimo importante”, explica Otília Corga, professora de História e uma das organizadoras do cortejo.

“Todas as disciplinas são envolvidas para em conjunto viver o tempo que estamos a recriar e que é 1891”, diz por seu lado Graça Ventura, a diretora do agrupamento de escolas, que também vestiu a pele da rainha D. Amélia.

A estação que faz hoje parte da cidade era então no meio do campo e em seu redor desenvolveu-se a primeira zona industrial de Castelo Branco, da qual sobram hoje alguns edifícios abandonados e as chaminés de tijolo.

Depois do cortejo e da inauguração a festa continuou na feira franca, com venda de produtos tradicionais, pregões populares, passeios a cavalo, música, teatro e até fotos à la minuta para mais tarde recordar.

PUB

PUB

PUB

PUB