Ambiente: Linha SOS Ambiente recebeu 4.561 denúncias em 2010

Castelo Branco é dos distrito que menos denuncias teve na linha SOS Ambiente. No ano de 2010 a linha recebeu 4.561 denúncias de agressões à natureza, mais 263 do que no ano anterior, um aumento que pode significar maior preocupação dos cidadãos e não mais ilegalidades.

  • Região
  • Publicado: 2011-02-26 20:26
  • Por: Diario Digital Castelo Branco/Lusa

Castelo Branco é dos distrito que menos denuncias teve na linha SOS Ambiente. No ano de 2010 a linha recebeu 4.561 denúncias de agressões à natureza, mais 263 do que no ano anterior, um aumento que pode significar maior preocupação dos cidadãos e não mais ilegalidades.

No entanto, só cerca de um quarto das denúncias dão origem a autos por infracções, como avançou o director do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da Guarda Nacional Republicana (GNR), coronel José Grisante.

"Em 2009 levantámos 988 autos por infracções detectadas nas 4.298 denúncias, ou seja, 25 por cento das denúncias davam infracção, e em 2010 levantámos 1.063 autos às 4.561 denúncias", mantendo-se "uma percentagem de entre 25 e 30 por cento" do total, referiu.

"Às vezes, as pessoas fazem denúncias com pouco fundamento, com pouca sustentabilidade e sem qualquer tipo de enquadramento, sem existência de qualquer tipo de infração", explicou José Grisante.

As situações relatadas ao SEPNA, através da Linha SOS Ambiente, nem sempre se confirmam como um incumprimento da lei e fazem com que os policiais percam tempo na sua averiguação.

"Esse tempo podia ser usado para patrulhamento, fiscalização e mesmo sensibilização e esclarecimento das pessoas", salientou.

Porém, a "ajuda" dos cidadãos não deixa de ser valorizada, já que os cerca de mil efectivos do SEPNA, dos quais mais de 500 são militares e os restantes civis, não chegam para cobrir cada metro quadrado do país.

"Aumentámos um bocado [o número de denúncias] o que, por um lado é bom, já que interpretámos que existe uma maior sensibilidade das pessoas para denunciar as situações e possivelmente também começa a haver maior reconhecimento da forma como tratamos as denúncias feitas", referiu o director do SEPNA.

Para o responsável, "pode não haver mais situações de agressão ao ambiente, pode haver maior sensibilidade para as denúncias".

A Linha SOS Ambiente recebe mais contactos das regiões mais populosas do país, onde a actividade humana é mais intensa, nomeadamente na indústria.

Os números do SEPNA referentes a 2010 apontam para 833 queixas recebidas no Porto e 775 em Lisboa, zonas que trocaram de lugares na lista já que um ano antes era a capital que ocupava a liderança, com 709 denúncias. O terceiro lugar pertence a Setúbal, com 528 contactos.

A Linha SOS Ambiente está integrada no SEPNA e recebe denúncias relacionadas com matérias ambientais principalmente através de telefone, meio usado em 2.716 dos casos, no ano passado, mas também do site da GNR e do email.

PUB

PUB

PUB

PUB